10 milhões de sócios e membros do Apostolado da Oração no Brasil

Entrevista exclusiva com o autor do recente livro para o Apostolado da Oração: "Na escola de amor do coração de Jesus", Pe. Roque Schneider

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 1633 visitas

Com mais de 150 obras escritas, Pe. Roque Schneider apresenta de segunda a sexta-feira, às 19hs, um programa na Rede vida de televisão que conta com uma audiência diária de 14 a 15 milhões de telespectadores, segundo disse à ZENIT o mesmo Pe. Roque. O programa se chama: "Momentos de Reflexão com Pe. Roque".

“Só no Brasil, temos mais de 10 milhões de devotos do coração de Jesus, que pertencem ao apostolado. Então, não é uma coisa lateral, não é uma coisa piegas, apenas de devoção, é núcleo central do evangelho da doutrina de Jesus Cristo”, afirmou Pe. Roque em entrevista exclusiva à ZENIT por ocasião da sua nova obra “Na escola de amor do coração de Jesus”, Edições Loyola.

“Na escola de amor do coração de Jesus”, é a sua última obra destinada aos 10 milhões de membros do apostolado da Oração no Brasil e a todos aqueles que queiram conhecer essa grandíssima devoção, na qual discorre com subsídios práticos, sobre o carisma e a espiritualidade da vocação apostólica e missionária que a Igreja solicita e recomenda.

Publicamos a seguir a entrevista na íntegra. Para adquirir a obra "Na escola de amor do coração de Jesus" acesse: http://loyola.com.br/produtos_descricao.asp?lang=&codigo_produto=75053

ZENIT: Na sua vida o senhor tem se destacado bastante no apostolado dos livros, com 150 obras escritas. Agora, por que um livro sobre o Coração de Jesus?

Pe. Roque: Na verdade a devoção ao sagrado coração de Jesus é fundamental, é teológica, é bíblica, tem raizes no antigo e novo testamento por quê? Porque a igreja católica apostólica romana foi fundada por Jesus Cristo... esta igreja nasceu no alto do calvário, quando um soldado romano traspassou o coração de Jesus redentor da humanidade e, segundo o evangelho, daquele coração traspassado da lança, brotou sangue e água. Sangue e água são símbolos do batismo, são símbolos de vida. Então, a devoção ao sagrado coração de Jesus não nasceu com Santa Margarida Maria de Alacoque, no século 16/17, na França. O coração de Jesus confiou as doze promessas a ela. A devoção ao coração de Jesus é fundamental, não é periferia, não é lateralidade, mas tem raízes na bíblia e no novo e antigo testamento, e Cristo continua nos dizendo: Eu sou o caminho, a verdade e a vida.

 ZENIT: Para algumas pessoas falar na Devoção ao Sagrado Coração de Jesus, é falar de uma espiritualidade ultrapassada, de rezas, imagens, fórmulas... A devoção ao Sagrado Coração de Jesus ainda é atual? Por quê?

 Pe. Roque: É exatamente atual, quando centrada no coração de verdade. Então, orações, fórmulas recitadas, símbolos, tudo isso, existiu ontem e existe hoje. Agora eu sempre falo para o Apostolado da Oração e alguém que é devoto do coração de Jesus, que pertence ao apostolado, que mergulha fundo, vai além da fita vermelha que carrega no pescoço, que é um símbolo. Vai além da fórmula, vai além das doze promessas das nove primeiras sextas-feiras que garantem a salvação. Quem vive de verdade a devoção ao sagrado coração de Jesus está no núcleo central do evangelho do cristianismo. Então, num mergulho mais profundo, a luz da fé do evangelho essa devoção não é ultrapassada, pelo contrário, ela existe em todo o mundo e continua fazendo um bem imenso à aproximadamente 30 milhões de devotos do coração de Jesus em todo o mundo. Só no Brasil, temos mais de 10 milhões de devotos do coração de Jesus, que pertencem ao apostolado. Então, não é uma coisa lateral, não é uma coisa piegas, apenas de devoção, é núcleo central do evangelho da doutrina de Jesus Cristo.

ZENIT: Qual é a essência dessa devoção?

Pe. Roque: A essência dessa devoção. Primeiro: A devoção profunda ao Sagrado Coração de Jesus. Esse Cristo que foi alanceado no calvário e desse coração aberto nessa igreja, nesse sacramento. Então, a devoção ao Sagrado Coração de Jesus primeiro, a devoção a Nossa Senhora. Foi Nossa Senhora que nos trouxe Jesus, ela é a corredentora da humanidade. A devoção ao Divino Espírito Santo faz parte da Santíssima Trindade que norteia os nossos passos e nos ilumina. Três devoções: ao Coração de Jesus, Nossa Senhora e ao Divino Espírito Santo. Nós temos no núcleo central, no nosso carisma, um oferecimento diário. Os devotos do Coração de Jesus começam o dia: “Senhor, obrigado pela noite que passou. Eu te ofereço os dias de hoje com alegrias ou sofrimento, com vitórias ou derrotas, encontros ou desencontros, meu trabalho, o meu lazer, as pessoas que vou encontrar. Tudo, senhor, eu te ofereço nesse ofertório do começo do dia”. Então, esse oferecimento dignifica as pequenas coisas de cada dia. As donas de casa que fazem o oferecimento no seu trabalho oferecem e rezam o fogão, rezam a vassoura, rezam o trabalho caseiro, o pai, a mãe, o jovem na leitura dos seus livros. Então a devoção, o oferecimento diário. Nós queremos estar em sintonia com o papa, sempre em sintonia com o papa e queremos ser apóstolos missionários, devotos do Coração de Jesus e Nossa Senhora hoje, em nosso lar, em nossa paróquia e em nossa comunidade.

 ZENIT: O que lhe fez escrever esse livro?

Pe. Roque: É, como nós temos 10 milhões de sócios e membros do Apostolado da Oração do Brasil e cada núcleo do apostolado numa paróquia, numa comunidade tem a sua diretoria, sua presidência, sua secretaria etc... Muitas vezes esse povo bom que não raro não tem muita faculdade, não fez universidade, mas são pessoas orantes, são pessoas operosas que trabalham, pessoas honestas que cumprem com o seu dever. Para terem nas mãos, a diretoria, a presidente, a secretária, a zeladora... Para terem nas mãos subsídios, eu fiz por pedido especial aqui das Edições Loyola, um livro com palestras prontas, com textos prontos exatamente sobre o que é a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, qual é o núcleo central, o que significa ser missionário no mundo de hoje. Então, é um livro de palestras prontas para aqueles e aquelas que precisam ter um conteúdo maior e passar esse conteúdo aos seus irmãos de caminhada.

 ZENIT: O leitor se encontrará com o coração de Jesus ao ler a sua obra?

Pe. Roque: Tranquilamente. O que eu recebo de depoimentos por escrito, por e-mail, por telefonema, de pessoas que agradecem porque encontraram o evangelho nesses livros e um detalhe interessante: No mundo de hoje, por causa da internet, do facebook, dessa parafernália toda de computador, os livros no mundo inteiro, nas livrarias estão diminuindo a venda, estão diminuindo a venda em todo mundo. Agora, livros com assunto religioso, com texto religioso, espiritual e de autoajuda estão vendendo mais do que nunca, porque nesse mundo onde o pessoal se sente meio perdido, de coração vazio, dentro dessa violência toda, pessoas que estendem a mão para encontrar uma tábua salvadora. Então, livros de espiritualidade, livros de autoajuda, livros que falam do Evangelho de Jesus Cristo estão vendendo mais do que nunca hoje.

ZENIT: No seu programa na Rede Vida, há algum apelo também ao Sagrado Coração?

Pe. Roque: Eu me lembro muito bem, anos atrás, nós consagramos a Rede Vida ao Sagrado Coração de Jesus oficialmente. Nós temos uma Santa Missa mensal na primeira sexta-feira do mês que é dia especial dedicado ao Coração De Jesus. Na primeira sexta-feira de cada mês temos a Missa do Sagrado Coração de Jesus para todo o Brasil e a Rede Vida alcança todo o Brasil. Eu falo nos meus programas diários na Rede Vida, de segunda à sexta-feira, cinco minutos, “Momentos de Reflexão com Pe. Roque”, às dezenove horas, eu falo seguidamente sobre a importância do Coração de Jesus. Eu rezo muitas vezes na Rede Vida: “Sagrado Coração de Jesus, fazei o nosso coração um pouco semelhante ao vosso”. Então, tranquilamente, como nesses programas eu falo de espiritualidade, de evangelho, de autoajuda, de coisas práticas da vida, seguramente, o Sagrado Coração de Jesus e a Nossa Senhora do Divino Espírito Santo estão presentes sim nos recados que eu dou diariamente a todo Brasil e, segundo me consta num ibope interno, eu tenho aproximadamente de quatorze a quinze milhões de telespectadores diariamente através da Rede Vida, um canal religioso, de valores éticos, grande benfeitora a Rede Vida, grande benfeitora nacional. Esse público quer alguma coisa a mais, quer valores espirituais nesse mundo dessacralizado, nesse mundo de tanta publicidade onde os valores espirituais de Deus e do Evangelho estão sendo bastante esquecidos. Ainda permanece no coração do nosso povo o anseio de infinito, o anseio de eternidade, de Deus presente em nossos lares e em nossos corações. Obrigado senhor eternamente!