"A África é uma terra rica de valores capazes de ensinar o mundo"

A despedida do Papa no aeroporto internacional de Cotonou

| 1531 visitas

COTONOU, domingo, 20 de novembro de 2011(ZENIT.org) - No momento da despedida, no aeroporto internacional de Cotonou, o papa Bento XVI pronunciou palavras de gratidão as autoridades civis e religiosas do Benin que fizeram sua viagem apostólica possível.

"Eu desejava visitar novamente o Continente africano pelo qual tenho uma estima e afeto particular, porque tenho uma profunda convicção que é uma terra de esperança", afirmou o Pontífice.

A África é um continente pelo qual o Papa nutre "estima" e "afeto especiais", rico de "valores autênticos, capazes de ensinar o mundo".

O Santo Padre convidou os africanos a estudarem a exortação apostólica pos-sinodal Africae Munus e a traduzir " em ações concretas na vida cotidiana".

Mais uma vez Bento XVI recordou e louvou a figura do cardeal Bernardin Gantin, "filho ilustre do Benin" que dá nome ao aeroporto da capital. "Que ele possa acompanhar a implementação deste documento!", disse o Papa se referindo ao Africae Munus.

Durante sua visita e conversas com as autoridades do país, o Santo Padre constatou " a possibilidade de uma coexistência harmoniosa dentro da nação, entre a Igreja e o Estado".

"A palavra fraternidade -comentou- é enfim as três palavras do vosso lema nacional. Viver juntos como irmãos, apesar das legítimas diferenças, não é uma utopia".

O Papa prosseguiu- "Porque um país africano não poderia mostrar ao resto do mundo a estrada a ser percorrida para viver uma fraternidade autentica na justiça fundada na grandiosidade da família e do trabalho?".

Depois de ter desejado aos africanos de "viverem reconciliados na paz e na justiça", o Santo Padre finalmente partiu.

Tradução:MEM