"A alegria é da Colômbia, a glória é de Deus"

Tem muita oração por trás dos gols de James Rodriguez, artilheiro da Copa

Roma, (Zenit.org) Luca Marcolivio | 647 visitas

Ele vai completar 23 anos sábado, 12 de julho, dia do jogo para definir o terceiro e quarto lugar, mas pode apostar que seu sonho é chegar no dia seguinte no Maracanã para a disputa do título.

Enquanto se aproxima o desafio complicado e de prestígio das quartas de final com o Brasil, anfitrião, James Rodriguez já fez muito pela seleção colombiana, que nunca tinha chegado tão longe em uma Copa do Mundo.

Com 5 gols em 4 jogos, Rodriguez é o melhor marcador da Copa, capaz de desestabilizar as defesas mais sólidas, contribuindo para fazer da Colômbia o time com o melhor ataque (11 gols), bem como o único, junto com a Holanda, por ter vencido todos os quatro jogos dentro dos primeiros 90 minutos.

Uma verdadeira fábula, a do atacante do Mônaco, um jovem já casado e pai de uma filha chamada Salomé (da qual tem o nome tatuado no antebraço), que nunca criou polêmica com os treinadores ou com a imprensa, e que sempre fez-se ouvir apenas pelo belo jogo e fair play.
James Rodriguez é um jogador que através do perfil no Twitter envia mensagens como: "A alegria é da Colômbia, a glória é de Deus". Assim, o atacante colombiano comemorou a vitória no último sábado contra o Uruguai, onde marcou duas vezes.

Repórteres e cronistas esportivos imortalizaram o Cristo "Ecce homo" tatuado em sua panturrilha: para James, Deus está no centro de tudo, como testemunha frequentando a paróquia perto de casa, onde é visto, muitas vezes, imerso na oração.
Rodriguez casou com 19 anos de idade com Daniela Ospina - irmã de David Ospina, goleiro colombiano - e, um ano atrás, nasceu a pequena Salomé. Há alguns meses atrás, o atacante colombiano afirmou que "ser pai é algo único", e que o nascimento de sua filha foi a melhor coisa que aconteceu na sua vida.

Em seu tempo livre, James adora estar na companhia de amigos e familiares, com quem muitas vezes sai para jantar, gosta de ler e ir ao cinema. Tornar-se um campeão não o impediu de continuar seus estudos em engenharia de sistemas: é, de fato, um fã de novas tecnologias e gosta de comprar telefones e tablets de última geração.

Em setembro passado, também via Twitter, Rodriguez lançou um apelo aos seus fãs: "Eu não posso acreditar que os violentos nos estádios são, de verdade, fãs. No máximo, eles são criminosos disfarçados de fãs ", escreveu o campeão colombiano.

A torcida esportiva, continua Rodriguez, é algo nobre, muitas vezes transmitida de geração em geração, e há um sentimento profundo que liga os fãs aos jogadores. "Quando nós jogadores estamos no campo - disse – percebemos as emoções: a alegria de vocês quando vencemos, a tristeza quando perdemos. Um gol não seria tão emocionante sem ver vocês na arquibancada torcendo.”

Condenando a violência nos estádios, Rodriguez adicionou um pensamento patriótico: "Debaixo do uniforme do nosso time, todos nós colombianos carregamos a camiseta amarela da nossa Colômbia. Uma Colômbia unida pela nossa bandeira e nosso desejo de viver em paz em nossas casas, em nossas cidades, em nossos campos e em nossos estádios ". Um pensamento que provavelmente James Rodriguez tem bem gravado no coração, especialmente nestes dias tão importantes para ele e para o seu país.

(Trad.:MEM)