A aprovação dos Estatutos da Comunidade Católica Shalom

Cardeal Rylko entrega o decreto da aprovação definitiva ao fundador

| 1625 visitas

ROMA, terça-feira, 15 de maio de 2012 (ZENIT.org) - Um dia histórico para a Comunidade Católica Shalom. Assim pode ser definida esta sexta-feira, dia 11 de maio, data em que a instituição recebeu das “mãos da Igreja” seus Estatutos definitivos através do Conselho Pontifício para os Leigos – CPL.

Ao discursar no CPL, Moysés Azevedo, Fundador e Moderador geral da Associação relembrou o dia 9 de julho de 1980, dois anos exatos, anterior à fundação da Comunidade. “Naquele dia, em Fortaleza, na Missa de abertura do Congresso Eucarístico Nacional vivi um encontro indescritível: o encontro de um jovem de vinte anos com  o sucessor de Pedro, o nosso inesquecível Beato João Paulo II”, disse.

Naquela ocasião, Moysés ofertou sua juventude em favor da evangelização dos jovens que estavam mais distantes da Igreja. “Ali, aos pés de Cristo e ao pé do sucessor de Pedro, eu recebi uma graça que eu não poderia prever, e que ainda hoje é muito maior do que nós. Desse encontro resultou em uma graça, que dois anos depois, em julho de 1982, tornou-se a  Comunidade Católica Shalom”, descreveu.

A entrega do decreto e do texto final dos estatutos por parte do Cardeal Stanislaw Rylko, presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, ocorreu na presença do Monsenhor Josef Clemens, do Bispo Miguel Delgado, do fundador da co-fundadora da Comunidade Católica Shalom, Moysés Louro do Azevedo Filho e Maria Emmir Oquendo Nogueira  e de alguns missionários Shalom representando o Brasil e os países em que a comunidade está presente.

Hoje, afirmou Cardeal Rylko, "a Igreja, vos dá o selo definitivo da autenticidade do vosso carisma, um ato de confiança e de amor para convosco, e agradece vosso trabalho de evangelização nestes 30 anos. Ao mesmo tempo espero que, fiéis ao vosso carisma, possam continuar com renovado empenho e generosidade cada vez maior no serviço à Igreja e à humanidade inteira”.

"Isto hoje não é um ponto de chegada, mas de partida, a Igreja vos convida, envia e diz: ide e anunciai o Evangelho ao mundo inteiro", exortou o cardeal Rylko.

Falando sobre os Estatutos, o Fundador afirmou que o decreto se tratava do fruto de um caminho cuja  fonte bíblica é a narrativa da aparição de Jesus ressuscitado aos Apóstolos situada no Evangelho de João, cap. 20, vers. 19-26. Na ocasião, Azevedo relembrou as palavras recentes de Bento XVI sobre esta passagem bíblica. “É muito importante o que se vê no Evangelho, isto é, que Jesus, aparece aos Apóstolos reunidos em duas aparições no cenáculo e repete várias vezes a saudação “A paz esteja convosco”. Esta saudação tradicional, com o qual deseja-se o shalom, paz, aqui se torna uma coisa nova, torna-se o dom da paz que só Jesus pode dar, porque é o fruto da sua vitória sobre o mal radical”, comentou.