A basílica de Santa Sofia não será transformada em mesquita

Últimas semanas foram marcadas por vários ataques contra igrejas cristãs em Istambul

Roma, (Zenit.org) | 557 visitas

A basílica bizantina mais famosa do mundo, a de Santa Sofia, em Istambul, não será transformada em mesquita. O diário vaticano L'Osservatore Romano informou hoje que o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, negou os pedidos de numerosos grupos fundamentalistas islâmicos.

O pedido de abertura de Santa Sofia ao culto islâmico estava em exame desde janeiro no Parlamento de Ankara, onde o partido do presidente, o Justiça e Desenvolvimento, no poder desde 2002, tem maioria absoluta.

Santa Sofia é a basílica bizantina mais famosa do mundo: com sua construção terminada em 537, ela foi transformada em mesquita em 1453 após a conquista otomana. Em 1935, por decisão de Mustafá Kemal Ataturk, tornou-se museu: os tapetes foram retirados e as decorações do piso de mármore voltaram a ser vistas depois de séculos.

Agora, movimentos islâmicos fundamentalistas pedem que a basílica volte a ser uma mesquita. De acordo com L'Osservatore Romano, a negativa de Erdogan vem sendo interpretada por analistas como uma mostra da vontade do país de relançar a sua política de aproximação da Europa. Por outro lado, o presidente turco começou as obras de construção de uma nova mesquita na colina do lado asiático de Istambul.

Nas últimas semanas, três igrejas foram atacadas na metrópole turca. No bairro de Kumkapi, na igreja armênia de Surp Asdvadzadzin, uma pessoa não identificada fez sete disparos ao ar em frente à igreja durante a liturgia da páscoa. Na parede da igreja, uma mensagem reclamava a reabertura do museu de Santa Sofia como mesquita. As igrejas evangélicas de Nova Esperança, em Atasehir, e de São João, na ilha de Burgazada, no Mar de Mármara, também sofreram ataques. Em Atasehir, o edifício foi cercado e teve seus vitrais quebrados a pedradas. Não houve feridos. Os atos violentos contra a igreja de São João foram cometidos por um grupo de adolescentes que depredaram vários móveis e destruíram parte do interior do recinto.