A Boa Notícia é que Deus venceu o mal

Papa Francisco explicou aos jovens reunidos em Assis que Deus é maior do que o mal: "Deus é amor infinito, misericórdia sem limites"

Roma, (Zenit.org) Antonio Gaspari | 626 visitas

"Deus triunfou sobre o mal. Deus é amor infinito, misericórdia sem limites. (...) Isso é o Evangelho, a Boa Nova” que é preciso comunicar e testemunhar.

Assim falou o Papa Francisco nessa tarde na praça da Basílica de Santa Maria degli Angeli, em Assis, diante de milhares de jovens reunidos ali de toda a região da Umbria.

Os jovens fizeram quatro perguntas ao Papa sobre o significado da vocação, sobre o porquê e o como da família, sobre o trabalho e a missão.

O Bispo de Roma não podia esperar outra coisa.  Agradeceu ao jovem casal que lhe fez a primeira pergunta sobre a vocação e explicou "é preciso coragem para começar uma família!" E o casamento "é uma verdadeira vocação".

"Dois cristãos que se casam – acrescentou – reconheceram na sua história de amor a chamada do Senhor, a vocação para formar de dois, homem e mulher, uma só carne, uma só vida”.

Para os cristãos, "o Sacramento do matrimônio – disse o Papa – envolve este amor com a graça de Deus, o radica em Deus mesmo”, por este motivo ”com este dom, com a certeza desta chamada, é possível partir com segurança, sem medo de nada, é possível enfrentar tudo, juntos!"

Para tornar mais claro o conceito, o Papa convidou-nos a refletir onde os nossos pais, avós, bisavós encontraram a força e a coragem, já que se casaram em condições muito mais pobres e difíceis do que hoje.

De acordo com o Papa, essas pessoas encontraram a força "na certeza de que o Senhor estava com eles", de que a família "é abençoada por Deus com o sacramento do matrimônio", e que bendita é “a missão de colocar filhos no mundo e educá-los".

"Com estas certezas - disse ele - já superaram também as provas mais duras. Eram certezas simples, mas verdadeiras, formavam colunas que sustentavam o seu amor”.

Para o Papa estes exemplos são fundamentais para não ter medo de casar-se e fomentar a confiança de que o Senhor não nos deixa sozinhos!

"Façam-no entrar na vossa casa como sendo da família, Ele vos sustentará sempre”, destacou.

O Pontífice, então, explicou a vocação complementar ao matrimônio, ou seja, a vida consagrada.

Neste contexto convidou todos a manter um relacionamento aberto com o Senhor.

"Deus sempre nos surpreende! - disse: - É Deus que chama; mas é importante ter um relacionamento diário com Ele, escutá-lo em silêncio diante do Tabernáculo e no íntimo de nós mesmos, falar com ele, aproximar-se dos Sacramentos”.

Em relação às perguntas sobre o compromisso social e sobre a evangelização, o Papa Francisco disse que em Assis, perto da Porciúncula, “parece que escuto a voz de São Francisco que nos repete: ‘Evangelho, evangelho!’. Diz isso também a mim, mais ainda, diz antes a mim: Papa Francisco, seja um servo do Evangelho!”.

E afirmou: "o Evangelho, queridos amigos, não diz respeito só à religião, diz respeito ao homem, todo o homem, e concerne ao mundo, à sociedade, à civilização humana. (...) O Evangelho é a mensagem de salvação de Deus para a humanidade” porque “cada um de nós tem necessidade da salvação do mal”.

"O nosso segredo - afirmou - é que Deus é maior do que o mal: Deus é amor infinito, misericórdia infinita, e esse Amor venceu o mal na sua raiz na morte e ressurreição de Cristo”.

"Com Cristo – repetiu – nós podemos lutar contra o mal e vencê-lo todos os dias. Acreditamos nisso ou não?".

Para o Papa Francisco por meio do Evangelho é possível suscitar a Fé e transformar o mundo de acordo com o projeto de Deus.

Não se trata de duas missões separadas, “levar o Evangelho com o testemunho da nossa vida – disse o Papa – transforma o mundo! Esse é o caminho!”

Em conclusão, o Bispo de Roma indicou que São Francisco com o Evangelho "fez crescer a fé, renovou a Igreja; e ao mesmo tempo renovou a sociedade, a tornou mais fraterna”.

(Trad. TS)