A brincadeira na evangelização

Coluna de orientação catequética aos cuidados de Rachel Lemos Abdalla

Campinas, (Zenit.org) Rachel Lemos Abdalla | 947 visitas

O lúdico está sempre presente naquilo que diz respeito às crianças. Desde que nascem, elas vão sendo introduzidas no mundo através da luz e dos sons que permitem a visão e a compreensão do meio.

Em poucas semanas de vida, um bebê já acompanha o movimento de um objeto e consegue reconhecer o rosto de sua mãe ou de sua cuidadora, em meio a tantos outros rostos. Ele escuta sons e percebe a sua localização, assim como a voz de seus pais e irmãos. E vai aprendendo a linguagem da comunicação e do relacionar-se através dos sinais e dos símbolos que ele mesmo observa ou cria no seu dia a dia.

Uma criança dos dois aos seis anos relaciona os objetos que conhece, aos seus desejos e anseios, transformando seus sonhos em realidades, segundo o seu entendimento. Por exemplo, uma vassoura pode ser um lindo cavalo branco, ou uma boneca pode ser uma filhinha que precisa de cuidados e alimentação. Assim, as crianças veem o mundo e crescem aprendendo da vida o que a vida lhe proporciona naturalmente e muitas vezes, repetidamente.

Se acreditamos que os valores cristãos são parte importante da formação e, principalmente, neste período de desenvolvimento fundamental na vida do ser humano, então é preciso inseri-los na linguagem das crianças.

Afinal, como uma criança pode crescer na fé e aprender os ensinamentos de Jesus Cristo, se não for da experiência dela mesma com Ele a partir daquilo que aprende na sua própria linguagem?

Se não compreendemos uma língua, não captamos a mensagem na sua totalidade, por melhor que ela seja passada. Por isso, a catequese na primeira infância precisa ser dinâmica, recheada de símbolos, de sons, de movimentos, pois essa é a linguagem das crianças! E tudo isso está relacionado às brincadeiras!

Brincar na catequese não significa desrespeitar a Palavra de Deus, ao contrário, significa inculturar a fé, ou seja, encontrar um meio de fazer chegar a mensagem cristã a partir daquilo que a criança conhece e reconhece. Assim Jesus falava com o povo e com os discípulos, na linguagem que eles conheciam.

O Projeto de evangelização 'Pequeninos do Senhor' leva as crianças até Jesus através do lúdico, a fim de que elas compreendam a mensagem e vivam os ensinamentos no dia a dia, usando de elementos como as dinâmicas, as brincadeiras infantis, a música, os desenhos, ou seja, apropriando-se de uma linguagem adequada a elas.

O Evangelho, aos domingos, durante o acolhimento dos pequeninos na missa, é uma verdadeira vivência da prática do amor de Jesus pelos homens e pelo Pai, desenvolvida nas brincadeiras saudáveis e apropriadas àquilo que é Sagrado, assim como Jesus brincava com as coisas de Deus, também na sua infância! Deste modo, está sendo obediente àquilo que o próprio Jesus pediu: "Vinde a mim as criancinhas e não as impeçais, porque delas é o Reino dos céus" (Mc 10,14).

*Rachel Lemos Abdalla é Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor; Coordenadora da Catequese da Família da Paróquia Nossa Senhora das Dores em Campinas; e é membro da 'Equipe de Trabalho' do 'Ambiente Virtual de Formação' da Arquidiocese de Campinas, São Paulo – Brasil.

Site: www.pequeninosdosenhor.org

Se desejar enviar perguntas ou expressar opiniões sobre os temas tocados pela coluna organizada por Rachel Lemos Abdalla, enviar email para: contato@pequeninosdosenhor.org

Para ler o artigo anterior clique aqui.