A carícia do Papa para o mundo do sofrimento

As doze pessoas com deficiência às quais o Santo Padre lavará os pés por ocasião da Missa in Coena Domini no Centro Santa Maria da Providência

Roma, (Zenit.org) Redacao | 463 visitas

A carícia do Papa aos sofredores. Os doze assistidos da Fundação Don Gnocchi a quem o Santo Padre dedicará o gesto do lava-pés, por ocasião da Missa in coena domini de amanhã, quinta-feira santa, no Centro “Santa Maria ala Provvidenza” de Roma são o símbolo – cada um no seu próprio calvário de lágrimas e de dor e na própria necessidade de proximidade e esperança – das velhas e novas formas de fragilidades nas quais a comunidade cristã está chamada a reconhecer o Cristo sofredor e a dedicar atenção, solidariedade e caridade.

Os doze pacientes aos quais o papa Francisco lavará os pés são afetados por deficiências – para alguns crônica e para outros temporária – com a qual se enfrentam desde o nascimento ou desde que eram muito jovens. Com idades entre os 16 e os 86 anos (nove italianos e três estrangeiros, dos quais um de fé muçulmana), estão sofrendo de doenças de invalidez de caráter ortopédicas, neurológicas e oncológicas.

O mais novo se chama Osvaldinho e é natural de Cabo Verde, embora residindo em Roma. Em Agosto do ano passado, um mergulho banal no mar destruiu a sua adolescência. A água muito baixa e o impacto violento lhe causou um trauma vértebro-medular obrigando-o a ficar em uma cadeira de rodas.

Há também uma mulher romana, Orietta, 51 anos, atingida há dois anos pela varíola que lhe causou encefalite. Aos 3 anos, no entanto, Samuel, hoje sessenta e seis, foi atingido pela poliomielite, doença que naquela época dizimava as crianças e às quais Pe. Gnocchi se dedicou depois que tinha passado a exigência dos aleijados.

A um jovem de 19 anos chamado Marcos, proveniente da Sabaudia (LT), foi encontrado em outubro passado um tumor cerebral. Vem da província de Latina (da vila de Maendy) também Angelica, 86, que em 1988 sofreu a primeira cirurgia no quadril esquerdo, o início de um calvário que teve o último capítulo em agosto do ano passado: queda com fraturas do quadril já operado e de várias costelas .

E também Daria, 39, sofre de tetraplegia espástica neonatal; Pedro, 86 anos, que sofre de deficiência do equilíbrio e do caminhar e hipotonotrofia muscular; Gianluca, 36 anos, que desde a idade dos 14 anos passou por várias operações para meningiomas; Stefano, 49 anos, sofre de oligophrenia grave e espasticidade nos resultados de cerebropatia neonatal; Hamed, 75, muçulmano líbio, que sofreu graves danos neurológicos como resultado de um acidente de carro; Giordana, 27, da Etiópia, que sofre de tetraplegia espástica, escreve poemas e cuida com outros deficientes do Centro para a emissora web "Radio Don Gnocchi". Finalmente, Walter, de 59 anos, que sofre de síndrome de Down.

[Trad.TS]