A Caritas ativa planos de emergência na África

Milhões de pessoas à beira de uma grave crise de alimentos

| 946 visitas

MADRI, quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012 (ZENIT.org) – A Caritas avisa que milhões de pessoas enfrentam mais uma vez um risco grave de crise alimentar dramática em toda a região africana do Sahel, onde o regime irregular e escasso de chuvas nos últimos meses vem provocando grandes perdas na produção agrícola.

***

As colheitas de cereais que fazem parte da alimentação básica ficaram muito abaixo do necessário em 2011. Alguns países, como o Chade e a Mauritânia, têm reservas de alimentos apenas para os primeiros três meses de 2012. O resto dos países do Sahel tem margem de autossuficiência de um ou dois meses a mais. A partir de março ou abril, os governos terão que intervir massivamente para evitar uma emergência de fome generalizada.

A escassez de alimentos é crítica para muitas famílias, que já esgotaram suas reservas de grãos e se vêem obrigadas a vender o pouco gado que possuem para comprar arroz e milho, produtos básicos da dieta tradicional. A situação deverá continuar se agravando até março. Consequências diretas da falta de alimentos já se observam na população subsaariana, com taxas de desnutrição infantil moderadamente graves, que poderão piorar se não houver intervenções urgentes.

Resposta das centrais da Caritas no Sahel

Diante da urgência da situação, as centrais da Caritas no Sahel, em coordenação com a rede internacional da Caritas e com os governos da região, estão ativando uma bateria de planos nacionais de intervenção urgente, a fim de responder às necessidades das pessoas mais atingidas pela crise de alimentos.

A Caritas do Mali já lançou um plano de emergência de 1,5 milhão de euros para executar em todo o país uma operação de distribuição gratuita de comida às pessoas mais vulneráveis, junto com programas de venda de alimentos a preços sociais e de “comida por trabalho”, em campanhas de preparação de terrenos para a lavoura. O plano da Caritas Mali inclui ainda a compra e distribuição de sementes para o novo plantio.

As Caritas do Níger, de Burkina Faso, do Chade e da Mauritânia também estão prestes a publicar os seus respectivos planos de ajuda de emergência.

Atividades de prevenção

Juntamente com esta ação de resposta imediata à escassez de alimentos, as Caritas do Sahel dispõem de um Sistema de Alerta Precoce (SAP) implantado há anos, voltado a prevenir e diminuir o impacto das possíveis crises alimentares e das emergências de fome. Dentro deste sistema, incluem-se medidas como a criação de bancos de cereais, celeiros para reserva de grãos e apoio ao cultivo irrigado durante a longa estação seca, além da colaboração solidária dos produtores agrícolas com os agricultores mais pobres. Estes planos contribuíram para paliar os efeitos mais devastadores de uma situação de insegurança alimentar séria.

As Caritas do Sahel informam que os governos de seus respectivos países estão executando diversos planos de contingência para enfrentar a carestia.

Resposta da Caritas espanhola

A Caritas espanhola aprovou uma contribuição de cem mil euros para apoiar o plano de emergência da Caritas Mali e prevê apoiar todos os apelos de emergência das várias centrais da organização no Sahel ao longo das próximas semanas.

A central da entidade na Espanha aprovou em janeiro um pacote de ajuda de cerca de 148.000 euros para a Mauritânia, dentro da estratégia da Caritas local, que pretende impulsionar o desenvolvimento integral das populações rurais vulneráveis na província de Monguel (Gorgol), no sul do país.