A cruz permanecerá no Parlamento polaco por decisão judicial

Tribunal decide que se trata de um importante símbolo da identidade nacional e da cultura polonesa. Para os bispos: a retirada é uma medida totalitário

Roma, (Zenit.org) Redacao | 378 visitas

Um tribunal de Varsóvia decidiu no último dia 9 de dezembro que o crucifixo poderá permanecer no Parlamento da Polônia (Sejm) já que, de acordo com a sentença, “não viola nenhum direito”. “Embora a cruz seja um símbolo religioso, não pode ser ignorada a sua importância como um símbolo da identidade nacional e da cultura polonesa", argumentou o tribunal. O veredicto rejeita assim o pedido apresentado pelo partido polonês Movimento Palikot que pedia retirar a cruz da câmara baixa.

A decisão põe fim a este processo, iniciado em 2011, quando um grupo de deputados levou aos tribunais a presença do crucifixo na parede frontal do hemiciclo que preside a sala do plenário do Sejm. Para os demandantes a presença da cruz “viola os seus direitos à liberdade de consciência e de religião”, ao mesmo tempo que vai contra as disposições da Constituição da Polônia e das diretrizes da União Europeia.

Depois do veredicto, o líder do Movimento Palikot, Janusz Palikot, criticou a decisão judicial e adiantou que levará o caso ao tribunal de Direitos Humanos de Estrasburgo.

Vários políticos celebraram a sentença, considerando que reflete o sentir da maioria dos poloneses. “Este caso era uma piada grotesca", disse Andrzej Jaworski, deputado da oposição Lei e Justiça e responsável do comitê do partido para combater o ateísmo. "Formava parte da guerra do Movimento Palikot contra a cruz", acrescentou.

Durante vários anos, uma parte da sociedade polonesa pede para que sejam removidos dos edifícios públicos, escolas, hospitais e instituições estaduais do Estado os crucifixos e outros símbolos católicos. Os sucessivos governos têm feito ouvidos moucos a este pedido.

Enquanto isso, os bispos poloneses acreditam que a remoção da cruz desses lugares seria uma medida "totalitária".

De acordo com uma pesquisa de opinião realizada em 2011 , o 71% dos poloneses são a favor da permanência dos crucifixos.

(RED IV/ TRAD TS)