A dimensão espiritual dos cidadãos europeus

Reunião entre instituições políticas e comunidades religiosas sobre cidadania

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) | 484 visitas

Representantes de instituições políticas e de várias comunidades religiosas se reuniram na sede da Comissão Europeia em Bruxelas, dia 30 de maio, para falar sobre o importante papel que as comunidades religiosas são chamadas a cumprir na consolidação das instituições e do bem comum da sociedade, através da promoção do positivismo da integração comunitária.

Participaram do encontro representantes de várias confissões cristãs, islâmicas, do judaísmo e do hinduísmo. Em nome da Igreja Católica estavam presentes delegados das Comissões dos Episcopados da Comunidade Europeia (COMECE). A Agência SIR informa que a iniciativa foi ocasião para um amplo intercambio de visões sobre questões atuais: das crises às situações de pobreza nos diversos, da necessidade de construir pontes entre os povos à abertura da União Europeia aos países vizinhos e o resto do mundo.

Outros temas abordados foram os valores inspiradores da Europa, os direitos fundamentais, as raízes históricas e religiosas do continente, o respeito pela liberdade de fé na Europa e além de suas fronteiras, a discriminação religiosa; além de argumentos de caráter prioritário como os jovens, os trabalhadores e as famílias que estão sofrendo os piores efeitos da crise econômica.

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, explicou que "enquanto estamos empenhados em acabar com a crise econômica na Europa, resulta claro que é necessário enfrentar outro desafio: a crise de confiança e de valores" que atravessa o continente. E acrescentou que "a participação das comunidades religiosas é indispensável para o êxito deste objetivo" que também passa pelo "situar os cidadãos no coração do projeto europeu”.

O Presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, observou que as múltiplas perspectivas oferecidas pelos representantes das diferentes comunidades e crenças religiosas "são de ajuda para a construção do projeto europeu”.

Também interveio Patrick Daly, secretário-geral da COMECE, destacando que "a Igreja Católica sustenta o projeto europeu" e "está envolvida na sua realização". Ele lembrou que, como disse o cardeal Marx, presidente da COMECE, durante o encontro com o Santo Padre Francisco, "temos a tarefa de transmitir uma ideia positiva da integração europeia, promovendo-a aos fiéis e cidadãos da Europa”.

Um comunicado da COMECE informa que os bispos representantes desta instituição reiteram o papel histórico, cultural e espiritual do cristianismo na construção da Europa de hoje e da noção moderna de cidadania. “A característica mais importante é que no conceito cristão de cidadania, os deveres devem equilibrar-se com os direitos, nossos direitos devem estar vinculados às responsabilidades cívicas. De fato, o cristão deve pensar primeiro nos deveres e responsabilidades, e deve tentar criar uma sociedade que seja acolhedora, aberta e particularmente sensível às pessoas cujos direitos não estão sendo plenamente respeitados ou que, apesar de viver entre nós, não desfrutam de nenhum dos privilégios da cidadania. Este desafio a consciência cristã é ainda mais urgente no momento atual de crise sócio econômica, assim como a necessidade de injetar o conceito de cidadania com a sua dimensão espiritual própria, essencial para que a Europa possa encontrar sua "alma".