A Europa cristã respira com dois pulmões

Presidente da Ação Católica de Czestochowa: encontro entre Putin e o papa Francisco promove boas relações entre as Igrejas ortodoxa e católica

Roma, (Zenit.org) Don Mariusz Frukacz | 368 visitas

"O encontro de Vladimir Putin com o papa Francisco é um evento de grande importância tanto para a Igreja quanto para o Estado russo e para toda a Europa cristã", declarou a ZENIT o presidente da Ação Católica da arquidiocese polonesa de Czestochowa, Artur Dabrowski. "Temos que lembrar que, graças ao diálogo permanente entre a Rússia, a Igreja ortodoxa, a Igreja católica e a Santa Sé, foi possível apresentar uma proposta de paz em comum para a resolução do conflito na Síria".

“É surpreendente”, acrescentou ele, “que um homem vindo das estruturas do comunismo, da antiga União Soviética, reconheça a necessidade de proteger os valores cristãos na vida pública. O encontro entre Putin e o papa vai reforçar as relações entre a Federação Russa e o Vaticano e ajudar a construir uma ponte de diálogo entre a Igreja ortodoxa russa e a Igreja católica".

Para Dabrowski, a visita de Putin ao papa argentino parece dar continuidade aos encontros anteriores entre o presidente da Rússia e o beato João Paulo II (2000 e 2003) e depois com o papa emérito Bento XVI (2007). "O Vaticano se mostra relevante no mapa geopolítico da Rússia".

"Devemos lembrar também que, em março, quando foi eleito o papa Francisco, Vladimir Putin enviou uma carta ao Santo Padre expressando a esperança de uma boa cooperação entre Moscou e o Vaticano. E não podemos esquecer que Bergoglio enviou uma carta a ele por ocasião da reunião do G20 em Moscou, propondo interromper o ‘inútil massacre na Síria’”.

O presidente da Ação Católica de Czestochowa comentou ainda que o encontro entre o papa e Putin "vai contribuir para promover os valores cristãos na Europa, dando seguimento à visão do beato João Paulo II, que imaginou uma Europa que respirava com os seus dois pulmões".