A família prolonga a vida

O recorde de matrimônio: Herbert Fisher, da Carolina do Norte e Zelmyra viveram 87 anos juntos

Roma, (Zenit.org) Antonio Gaspari | 715 visitas

Em tempos onde os divórcios crescem, aumentam os ataques contra a família e a pressão para modificar o casamento entre homem e mulher, aquece o coração descobrir que a lista do Guinness Book of Records apresenta um casal que viveu 87 anos de matrimônio.

Trata-se de Zelmyra e Herbert Fisher, da Carolina do Norte (EUA). Eles se casaram em 1924, Herbert nasceu em 1905 e Zelmyra em 1907. Eles voltaram para a casa do Senhor, com a idade de 105 anos, ele, em 2010, ela em 2013.

Em 87 anos de casamento a família cresceu: 5 filhos, 10 netos, nove bisnetos e uma bisneta. Sobre a história, vale a pena repetir a publicação do site em espanhol Religion en Libertad, que escreveu: "Certa ideologia predominante no mundo moderno gostaria de demonstrar que ficar juntos em um casamento por tantos anos é chato e uma verdadeira bobeira. No entanto, se perguntarmos a quem está experimentando verifica-se que o casamento entre duas pessoas, apesar das dificuldades, é objeto de consolação, alegria, amor. E sofre muito mais aquele que por algum motivo ou desgraça perde a família”.

No curso de suas vidas, Herbert e Zelmyra passaram por crises dramáticas, uma guerra mundial, muitas guerras travadas por seu país. Eles tiveram que lidar com os problemas, dificuldades e sofrimentos diários, mas juntos para sempre, encontrando na união e na fé cristã a força para enfrentar tudo da melhor maneira.

O casal descreveu sua experiência em uma entrevista difundida “nas redes”. Quando perguntaram qual era o motivo que convenceu Herbert a gastar sua vida junto a Zelmyra, ele disse: "O que me assegura é que cada dia que passo com Zelmyra, nossa relação fica mais sólida e segura. O divórcio - acrescentou - nunca foi uma opção, e nem mesmo um possível pensamento".

"Como você descobriu que Zelmyra era a esposa ideal para você?".  Ele responde: "Nós crescemos juntos, éramos grandes amigos antes de nos casarmos. A amizade é para a vida toda. Nosso matrimônio durou a vida toda".

E nesta vida não há arrependimento. Na verdade, quando o repórter perguntou a Herbert se havia algo que ele queria que tivesse sido diferente nesses 87 anos de matrimônio, ele nem pensou um pouco: "Eu não mudaria nada do que aconteceu. Não tem um segredo especial que explica o nosso casamento. Nós fizemos o que era necessário, um pelo outro e pelas necessidades da nossa família".

"O casamento - acrescentou - me ensinou o respeito, o apoio e a boa comunicação com o outro. E me encorajou a ser confiante, honesto e verdadeiro. A regra é amar um ao outro e mantê-lo no coração”.

Doce, apaixonada, mas ao mesmo tempo segura e decidida, também Zelmyra quando quetsionada sobre as qualidades mais importantes de seu marido, ela responde prontamente: "É um grande trabalhador e um bom homem. Nos anos 20, a situação era muito difícil, mas Herbert trabalhou para garantir que tivéssemos o melhor. Casei-me com um grande homem".

Ela também conta sobre o "melhor Dia dos Namorados": eu cozinhava todos os dias, mas um dia Herbert pediu uma folga no trabalho e me surpreendeu, ele cozinhou para mim. Eu descobri que ele é um cozinheiro muito bom". "Eu disse a ele que eu poderia cozinhar, mas eu vi que ele estava feliz. Vê-lo feliz me encheu de alegria”.

Uma vida repleta de pequenas e simples alegrias, mas também de preocupações e sacrifícios. Como quando - lembra Herbert - "Eu tive que ficar dois meses longe dela. Ela estava no hospital por complicações em relação ao nosso quinto filho.  Foi o momento mais difícil da minha vida. A mãe de Zelmyra me ajudou a cuidar da casa e dos outros quatro filhos, caso contrário, eu teria entrado em pânico".

"O que além do amor humano ajuda a enfrentar as dificuldades?" - foi a última pergunta para o casal - . "O casamento não é um jogo para obter uma pontuação", respondem em uníssono. "Deus coloca duas pessoas juntas para superarem as dificuldades. Nós dois somos cristãos e acreditamos em Deus. Casamento é um compromisso conjunto diante de Deus. Nós rezamos, e rezamos juntos e um pelo outro, todos os dias".