A Fraternidade Sacerdotal de São Pio X pede mais tempo para reflexão

Pontifícia Comissão Ecclesia Dei emite comunicado

| 1569 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 29 de outubro de 2012 (ZENIT.org) – Reproduzimos a seguir o comunicado emitido pela Comissão Pontifícia Ecclesia Dei, no último sábado, 27, sobre o estado das conversações com os lefebvrianos.

 A Pontifícia Comissão Ecclesia Dei anuncia que, em sua mais recente comunicação, de 6 de setembro de2012, a Fraternidade Sacerdotal de São Pio X expôs sua necessidade de mais tempo para reflexão e estudo, a fim de preparar a sua resposta às últimas iniciativas da Santa Sé.

O atual estado das discussões entre a Santa Sé e a Fraternidade Sacerdotal é fruto de três anos de diálogo doutrinal e teológico, durante os quais uma comissão conjunta se reuniu oito vezes para estudar e discutir, entre outros assuntos, alguns pontos controversos na interpretação de certos documentos do concílio Vaticano II. Quando os diálogos doutrinais terminaram, foi possível avançar para uma fase de discussões mais diretamente focadas no grande desejo de reconciliação da Fraternidade Sacerdotal de São Pio X com a Sé de Pedro.

Outras etapas fundamentais neste processo positivo de reintegração gradual foram realizadas pela Santa Sé em 2007, estendendo à Igreja universal a forma extraordinária do rito romano com o motu proprio Summorum Pontificum, e, em 2009, com a abolição das excomunhões. Alguns meses atrás, este difícil caminho chegou a um ponto crucial quando, em 13 de junho de2012, a Comissão Pontifícia apresentou à Fraternidade Sacerdotal de São Pio X uma declaração doutrinal e uma proposta para a normalização canônica do seu status dentro da Igreja Católica.

 Atualmente, a Santa Sé espera a resposta oficial dos superiores da Fraternidade Sacerdotal a esses dois documentos.

Após trinta anos de separação, é compreensível que haja necessidade de tempo para absorver o significado destes recentes desenvolvimentos. O nosso Santo Padre Bento XVI pretende promover e preservar a unidade da Igreja, através da reconciliação tão esperada entre a Fraternidade Sacerdotal de São Pio X e a Sé de Pedro, em uma poderosa manifestação do munus petrinum à obra. É preciso paciência, serenidade, perseverança e confiança.

(Trad.ZENIT)