"A Igreja deve estar com as portas abertas para que todos possam entrar"

Durante a catequese geral o Papa Francisco fala que o Povo de Deus é para todos

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 544 visitas

Com a praça de São Pedro repleta de peregrinos e fiéis de todo o mundo, o Papa Francisco, entre momentos de grande espontaneidade, como é do seu feitio, continuou a sua catequese sobre a Igreja. Dessa vez aprofundando no termo do Concílio Vaticano II, “Povo de Deus”.

Significado

O que significa “Povo de Deus”?, perguntou o Papa. “Antes de mais nada quer dizer que Deus não pertence propriamente a nenhum povo” porque a “misericórdia de Deus ‘quer a salvação para todos’ (1 Tim 2, 4). “Jesus não diz para os apóstolos e para nós de formarmos um grupo exclusivo, um grupo de elite”. E falando a todos os que se sentem distante da Igreja, disse o Papa, “O Senhor também te chama para fazer parte do seu povo e o faz com grande respeito e amor!”

Batismo

É nascendo do alto, pela água e pelo Espírito, por meio do “Batismo”, que se entra para fazer parte desse Povo. Nesse sentido o Papa nos convidou a fazer um exame: “como faço para crescer na fé que recebi no meu Batismo?”.

Lei do amor

Um povo que tem uma lei: o amor a Deus e ao próximo. “Amor que não é estéril sentimentalismo ou algo vago, mas que é reconhecer a Deus como único Senhor da vida e, ao mesmo tempo, acolher o outro como verdadeiro irmão superando divisões, rivalidades, incompreensões, egoísmos”.

Deixando de lado o texto da catequese e dirigindo-se à multidão, disse que ainda hoje há muitas guerras “entre cristãos”, “dentro do Povo de Deus”, nos bairros, no trabalho, na própria família, “por inveja, ciúme”. Peçamos ao Senhor que compreendamos a lei do amor.

Interrompido pelos aplausos acrescentou: “que bonito é que aprendamos a nos amar como verdadeiros irmãos”. E convidou-nos a um propósito concreto: “rezar por aqueles com os quais estamos bravos é um excelente passo nessa lei do amor”.

Missão do Povo de Deus

A missão desse povo “é levar ao mundo a esperança e a salvação de Deus”. Se abrirmos um jornal, disse o Papa, vemos a presença do mal, “o Diabo atua”. Mas afirmou em alta voz: “Deus é mais forte! E sabeis por que é mais forte? Porque Ele é o Senhor, o único Senhor”.

Utilizando a imagem de um estado de futebol – “pensemos em Roma no Olímpico ou naquele de San Lorenzo em Buenos Aires”- numa noite escura, onde uma só pessoa acende uma luz dentro desse estádio. É quase imperceptível. Porém, se num estádio cheio, todos acenderem, se notará realmente uma grande diferença. Dessa forma “façamos que a nossa vida seja luz de Cristo; juntos levaremos a luz do evangelho a toda realidade”.

Finalidade desse Povo

A finalidade desse povo é o Reino de Deus, “a comunhão plena com o Senhor, a familiaridade com o Senhor, onde viveremos a alegria do seu amor sem medida, uma alegria plena”.

Portanto, ser Igreja, concluiu o Pontífice, é “ser o fermento de Deus nesta nossa humanidade” por meio do anúncio. Que a Igreja “seja lugar da misericórdia e da esperança de Deus, onde cada um possa se sentir acolhido, amado, perdoado, encorajado”. Mas, para isso, “a Igreja deve estar com as portas abertas, para que todos possam entrar. E nós devemos sair por aquelas portas para anunciar o Evangelho”.