A Igreja está se mobilizando contra o trabalho escravo na Índia

A campanha para pedir ao novo Governo indiano que adote um protocolo internacional contra esta chaga teve a adesão do Conselho nacional das Igrejas na Índia

Roma, (Zenit.org) Redacao | 368 visitas

O Conselho Nacional de Igrejas na Índia (NCCI) juntou-se à campanha para pedir ao novo governo indiano a adoção de um protocolo internacional que tem o objetivo de pôr fim ao trabalho forçado.

A campanha, planejada por ocasião do 103º Congresso da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que acontece em Genebra, até 12 de junho, prevê a criação de um Protocolo Adicional à Convenção sobre o Trabalho Forçado de 1930.

"Porque o país já ratificou a Convenção sobre o Trabalho Forçado - sublinha o Conselho Nacional das Igrejas, conforme relata a agência Misna – a Índia precisa assumir um papel de liderança em aceitar o protocolo. O governo indiano ainda não anunciou a sua posição; talvez simplesmente aceitará a Recomendação mas não o Protocolo porque a Recomendação não é vinculante. O Protocolo será extremamente útil para garantir os direitos dos trabalhadores indianos que trabalham em outros países e mostrará também a nossa determinação para enfrentar as práticas de trabalho forçado no País”.

O novo protocolo tem como objetivo relançar um plano de ação para eliminar o trabalho forçado. Na região da Ásia-Pacífico, de acordo com os dados mais recentes da OIT, existem cerca de 11,7 milhões de trabalhadores forçados, o equivalente a 56% do total mundial. (Trad.TS)