A Igreja no Brasil, sempre mais Comunicativa - 3º Encontro Nacional da Pascom (Primeira Parte)

Entrevista com Ir. Élide Fogolari, assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB

| 856 visitas

BRASÍLIA, terça-feira, 06 de março de 2012 (ZENIT.org)- “Identidade e Missão” é o tema do 3º Encontro Nacional da Pascom (pastoral da comunicação) que se realizará em Aparecida do Norte dos dias 19 a 22 de Julho desse ano. O evento é promovido pela CNBB e contará com a presença de ilustres comunicadores. 

Entre os muitos temas a serem tratados destacamos principalmente: O que é a Pastoral da Comunicação e como se organiza, webjornalismo, Redes sociais, Crimes na Internet, RIIBRA (rede de informática da Igreja no Brasil) e Linguagem específica da Web Rádio.

Sua Eminência, o Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, presidente da CNBB, presidirá a missa de clausura do evento  no dia 22.

É um evento para “todas as pessoas que fazem comunicação católica no Brasil e que desejam aprimorar o ser e o fazer evangelização através da comunicação”, afirma a irmã Élide Fogolari, religiosa Paulina, assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB.

Na tarde de ontem, Zenit pôde entrevistar brevemente a irmã Élide na sede da CNBB em Brasília para que ela nos informasse um pouco mais sobre o significado e a importância da pastoral da Comunicação e do 3º Pascom para a Igreja do Brasil.

Para obter maiores informações sobre o 3º Pascom, ver a programação completa, palestrantes, hospedagem e inscrição acesse o site da CNBB www.cnbb.org.br ou o blog do encontro www.encontropascombrasil.blogspot.com.  

Publicamos hoje a primeira parte da entrevista.

O que é a Pastoral da Comunicação (Pascom)?

Ir. Élide Fogolari: Veja bem, a Pastoral da Comunicação parece ser uma outra dimensão da comunicação. Mas, a melhor definição é: a comunicação na Igreja é denominada pastoral. Porque toda ação comunicativa da Igreja sempre tem a intenção de evangelizar, de anunciar a boa nova de Jesus Cristo a todos, etc. Isso vai dar sentido à pastoral. Então, toda comunicação na Igreja é denominada Pastoral da Comunicação.

Como nasceu a Pascom na CNBB?

Ir. Élide Fogolari: Há uns 30 anos atrás, quando a CNBB veio para Brasília, um grupo de bispos com Dom Eugênio Sales deram início a uma estruturação da comunicação aqui na CNBB. E ali foram se desdobrando todas as atividades da comunicação, inclusive a pastoral da comunicação.

Dos dias 19 a 22 de Julho desse ano se terá em Aparecida o 3º Encontro Nacional da PASCOM. Qual é a contribuição que esse evento dará para um comunicador católico?

Ir. Élide Fogolari: Contribui de vários modos. Primeiro o sentido do lugar onde está sediado o evento, que é um sentido bastante pastoral, motivador. Eu sempre digo que é aos pés de Maria que nós vamos aprender a ser comunicadores como ela foi e continua sendo, dando Jesus ao mundo.

Em segundo lugar ou como segunda motivação é convocar todas as pessoas que trabalham com a comunicação da Igreja no Brasil, sejam eles profissionais, sejam eles amadores, sejam pessoas não comprometidas ou pessoas que desejam se comprometer. Para que? Para que essas pessoas durante esses dias através de seminários, oficinas e mesas redondas possam discutir a comunicação nos seus vários aspectos; seja ela impressa, seja ela visual... Um outro momento é dar a oportunidade da troca de experiências que se realizam na Igreja do Brasil. E é por isso que estamos realizando esse 3º PASCOM, pois se percebe esse resultado: as pessoas se animam, se entusiasmam, se motivam e querem isso.

Então não será restrito só para os comunicadores profissionais?

Ir. Élide Fogolari: Não. Se reunirão os profissionais, os especialistas da comunicação que trabalham com a comunicação, e também estarão aquelas pessoas que estão na prática, mas que não tem tanta formação. E eles vão lá porque é uma troca de experiência, e é isso que os motiva a ir.

E os bispos estão enviando seus leigos?

Ir. Élide Fogolari: Os bispos estão muito interessados em enviar seus leigos, porque eles percebem que essas pessoas, quando regressam para as suas dioceses, desde o primeiro Pascom até esse terceiro, contribuem muito porque percebem que vale a pena trabalhar com a comunicação. E isso porque não é só para anunciar o Reino de Deus, mas também para construir uma sociedade mais humana, mais justa e fraterna.

Então, o PASCOM não quer só contribuir para a comunicação da Igreja no Brasil, mas também quer contribuir para a comunicação do Brasil?

Ir. Élide Fogolari: Sim. Queremos que também a comunicação institucional possa usufruir do Pascom. As pessoas vão perceber que vão para esse encontro, não somente para que depois estejam continuando na comunicação em quanto anunciar a Boa Nova. Mas, voltando, eles motivam também os profissionais que estão nas suas cidades a se engajarem numa comunicação que seja mais justa, mais digna, numa comunicação que é um direito nosso, na verdade, na justiça, no social.

Por Thácio siqueira