A imagem milagrosa de ETZELSBACH

O Santuario Mariano de Turingia

| 860 visitas

Britta Dorre

ROMA, segunda-feira, 21 de maio de 2012 (ZENIT.org) -. Etzelsbach de Eichsfeld está localizada na região de Eichsfeld, cerca de 10 km de Heiligenstadt, no estado Federalou territorio da Turíngia (centro da Alemanha). A história do santuário remonta ao século XVI. O lugar foi mencionado pela primeira vez em 1525, quando a capela da peregrinação "Zu unserer Lieben Frauen" foi incendiada durante a Guerra dos Camponeses (Bauernkrieg, 1524-1526). Enquanto Etzelsbach originalmente pertencia ao mosteiro de Beuren, após o encerramento da fundação de Cisterciense, em 1555, foi para a paróquia de São Maurício, em Steinbach.

Segundo a tradição, a imagem milagrosa foi encontrada acidentalmente por um agricultor, enquanto ele arava seus campos. Tem um papel importante desde 1625, especialmente durante a  tradicional peregrinação a cavalo, que é realizada anualmente no segundo domingo após a Visitação. No povoado vizinho de Wingerode eclodiu em 1625 uma grave doenca equínea e os animais levados para o santuário foram curados. Ainda hoje, junto a capela de Etzelsbach , os cavalos dao três voltas ao redor do edifício.

O aspecto atual da capela neo-gótica remonta a um projeto dos arquitetos Paschalis Gratze e Fritz Cordier em 1897/98. Na capela encontra se  a milagrosa imagem - é uma escultura de madeira do século XVI - que representa a Pieta.

Durante a sua visita apostólica à Alemanha, o Papa Bento XVI em 23 de setembro de 2011 chamou , durante a celebração das Vésperas,  a atenção Etzelsbach para a posição do Crucificado. "Na maioria das representações da Pieta, Jesus morto esta com a cabeça para a esquerda. Assim, o espectador pode ver a ferida do lado do Crucificado ", explicou o Pontífice. "Aqui em Etzelsbach, no entanto, a ferida do peito é escondida, porque o cadáver, precisamente, está voltado para o outro lado."

"Parece-me que nesta representação esconde um significado mais profundo, que se revela apenas em uma contemplação cuidadosa," continuou o Pontifice. "Na imagem milagrosa de Etzelsbach os corações de Jesus e de sua Mãe estão um diante do outro, se aproxima um do outro. Estão dando um ao outro o seu amor. Sabemos que o coração é o órgão mais sensível às sensibilidades dos outros, bem como o órgão da compaixao íntima. No coração de Maria há espaço para o amor que o seu Filho divino deseja dar ao mundo”.

"Sob a cruz, Maria torna-se companheira e protetora do homen no caminho de sua vida", explicou o Santo Padre, que recordou as palavras da constituição dogmática Lumen gentium (n. º 62) do Concílio Vaticano II: "Com sua caridade materna, cuida dos irmãos de seu Filho que caminham ainda na terra cercado de perigos e dificuldades, até que sejam conduzidos em sua casa abençoada. "

"Sim, na vida passamos por altos e baixos, mas Maria intercede por nós junto ao seu Filho, e nos comunica o poder do amor divino", lembrou o pontífice a Etzelsbach. Os que creem - acrescentou - "se apóiam na fé inabalável de que Maria é tambem nossa Mae, ao mesmo tempo - uma mãe que sofreu a pior dor de todas, que  sente conosco todas as nossas dificuldades e pensa deuma forma maternal em supera las ”.

(Traducao:MEM)