A missa "pro eligendo papa"

Pe. Edward McNamara, LC, professor de teologia e diretor espiritual, responde a pergunta de leitor

Roma, (Zenit.org) Pe. Edward McNamara, L.C. | 1688 visitas

Um leitor francês de ZENIT quer saber mais sobre a missa pelo papa durante a quaresma:

Desde 1º de março até à eleição do novo pontífice, é possível celebrar a missa "pro eligendo papa" em vez da missa do dia, estando no tempo de quaresma? Ou podem ser usadas as orações desta missa com os textos da missa do dia? Obrigado. Em Cristo, Michel D., França

Apresentamos a resposta do padre McNamara:

De 1º de março até a eleição do novo papa, podemos celebrar a missa pro eligendo papa em vez da missa do dia, dado que estamos na quaresma.

A Secretaria para o Culto Divino, da Conferência Episcopal dos Estados Unidos (USCCB), produziu uma série de notas litúrgicas muito interessantes e úteis sobre a renúncia do papa, que abordam muitas das questões levantadas.

Considerando que estamos na quaresma, é preciso lembrar que as missas para as diversas necessidades mencionadas abaixo podem ser celebrada somente nos dias feriais, “por ordem ou com o consentimento do bispo diocesano” (Ordenamento Geral do Missal Romano, nº 374).

Note-se que, nestes dias, o cardeal vigário de Roma e outros bispos italianos deram permissão aos padres para celebrarem esta missa durante a semana, até a eleição do novo papa. Mantêm-se, no entanto, a cor litúrgica e as leituras próprias da quaresma.

Estes são os principais pontos das notas litúrgicas da USCCB:

Com a renúncia do papa efetivada, tanto o bispo diocesano quanto os padres em cada paróquia podem considerar a possibilidade de oferecer uma missa especial pela eleição do novo papa, de acordo com as diretrizes do calendário litúrgico. É desejável uma missa oferecida pelo bispo diocesano na catedral ou em cada vicariato, com a participação do maior número possível de fiéis. Pode ser celebrada a missa pela eleição de um papa ou de um bispo (seção Missas e Orações para Diversas Necessidades e Ocasiões, do Missal Romano).

Uma missa votiva ao Espírito Santo também pode ser celebrada, usando-se, por exemplo, o Prefácio II do Espírito Santo: A ação do Espírito na Igreja.

A homilia pode oferecer uma oportunidade de reflexão sobre o ministério petrino e seu papel na Igreja. O pregador tem a oportunidade de instruir os fiéis sobre a relação entre Igreja local e universal.

A liturgia das horas, laudes e vésperas também podem ser celebradas, e, nos dias em que não há memória, festas ou solenidades obrigatórias, a oração final pode ser a da missa pela eleição do papa ou de um bispo.

Os fiéis devem ser exortados a oferecer as suas orações privadas, obras e esmolas pela eleição do novo pontífice. Pode ser incentivada a prática simples de rezar frequentemente um pai-nosso, uma ave-maria e um glória por esta intenção. Também se deve orar pela eleição do papa quando se recita o terço.

Intenções, como as seguintes, podem ser oferecidas na oração universal:

- Para que o Espírito Santo inspire e fortaleça os cardeais eleitores ao escolherem um novo pontífice para nos guiar, rezemos ao Senhor.
- Para que o colégio dos cardeais, em seu processo eleitoral, seja veículo digno da graça de Deus que guia a Igreja, rezemos ao Senhor.
- Para que o Espírito Santo atue fortemente no novo papa eleito pelo colégio dos cardeais, rezemos ao Senhor.

Logo depois da eleição do novo papa

Logo após a eleição do novo papa, o bispo diocesano e os padres de cada paróquia podem oferecer uma missa especial pelo papa recém-eleito de acordo com as diretrizes do calendário litúrgico. É desejável uma missa oferecida pelo bispo diocesano na catedral ou em cada vicariato, com a participação do maior número possível de fiéis.

No dia da eleição do papa, é apropriada a missa pelo papa (especialmente no aniversário da eleição). Esta missa não pode ser usada nos domingos de advento, quaresma e páscoa, solenidades, quarta-feira de cinzas e nos dias feriais da semana santa. O texto desta missa está na seção Missas e Orações para Várias Necessidades e Ocasiões, do Missal Romano.

Novamente, os fiéis devem ser exortados a rezar pelo papa recém-eleito nas suas orações particulares. Pode ser incentivada a oração frequente do pai-nosso, da ave-maria e do glória, pelas intenções do papa. Deve-se rezar pelo papa recém-eleito também ao se recitar o terço.

Segundo o costume, flâmulas douradas e brancas podem ser afixadas acima da entrada da igreja ou da capela. Podem ser colocadas flores ao lado da bandeira do Vaticano, que pode ser exposta com destaque.

Algumas das seguintes intenções podem ser usadas na oração universal:

- Pelo nosso novo Santo Padre, N., para que receba de Deus as forças necessárias ao iniciar o seu ministério de unidade, amor e paz, rezemos ao Senhor.
- Pelo nosso recém-eleito papa N., para que, colaborando com os bispos da Igreja, edifique o Corpo de Cristo na paz e na alegria, rezemos ao Senhor.
- Pelo nosso recém-eleito papa N., para que seja defensor dos pobres, reconciliador das nações e força para a paz e para a unidade do nosso mundo, rezemos ao Senhor.