A oração corajosa é ouvida por Deus

Na homilia desta manhã em Santa Marta, Papa Francisco explica que é preciso "coragem para bater à porta, a coragem de ter confiança para que o Senhor nos ouça

Roma, (Zenit.org) Antonio Gaspari | 790 visitas

"Como nós rezamos? Rezemos assim por hábito, piedosamente, mas tranquilos, ou nos colocamos diante do Senhor para pedir a graça, para pedir por aquilo que rezamos?". Perguntou o Papa Francisco, nesta manhã, durante a homilia da missa celebrada em Santa Marta.

A atitude com que rezamos é importante - disse o Bispo de Roma - porque "uma oração que não seja corajosa, não é uma verdadeira oração". O Papa explicou que quando rezamos precisamos de "coragem de ter confiança de que o Senhor nos escuta, a coragem de bater à porta”. O Senhor diz porque “quem pede, recebe; quem procura, encontra; e quem bate, a porta se abre” – afirmou.

“Quando nós rezamos corajosamente – disse o Papa - o Senhor nos concede a graça, mas também Ele se dá a si mesmo na graça: o Espírito Santo, ou seja, si mesmo! Jamais o Senhor concede ou envia uma graça por correio: jamais! Ele a concede! Ele é a graça! "Nossa oração - acrescentou - se for corajosa, recebe o que pedimos, mas também o que é mais importante: o Senhor.”

Como “alguns recebem a graça e vão embora”, como os dez leprosos que são curados por Jesus, mas somente um volta para agradecer-Lhe - para o Papa Francisco é preciso “pedir também aquilo que a oração não ousa esperar: ou seja, o próprio Deus.”

O Santo Padre concluiu dizendo: “Não façamos a desfeita de receber a graça e não reconhecer Quem a dá: o Senhor. Que o Senhor nos dê a graça de doar-se a si mesmo, sempre, em toda graça. E que nós o reconheçamos, e que o louvemos como aqueles doentes curados do Evangelho. Porque naquela graça, encontramos o Senhor”.