A paciência de Deus com cada um de nós

Breve homilia do Papa Francisco na missa celebrada segunda-feira na Casa Santa Marta

Roma, (Zenit.org) Sergio Mora | 1118 visitas

Refletir sobre a paciência de Deus. A paciência que Deus tem com cada um de nós é reflexo da infinita paciência que Jesus teve com Judas. Esse foi o convite do Papa Francisco feito durante a breve homilia na Missa presidida nesta segunda-feira (25), na Capela da Casa Santa Marta, no Vaticano. Indicou a Radio Vaticana ao comentar a missa cotidiana do Santo Padre.

Papa Francisco inspirou-se no trecho do Evangelho do dia (João 12,1-11). Nessa passagem, o apóstolo critica a escolha de Maria, irmã de Lázaro, de ungir os pés de Jesus com o precioso perfume. “Melhor seria vendê-lo – disse Judas - e dar o dinheiro aos pobres.

João, porém ressalta que a Judas não interessavam os pobres, mas o dinheiro que roubava.

“Jesus não lhe disse ‘Você é um ladrão’, mas com amor, foi paciente com Judas, procurando atraí-lo a Si com a Sua paciência, com o Seu amor.

“Fará-nos bem pensar, nesta Semana Santa, na paciência que Deus tem conosco, com as nossas fraquezas, com os nossos pecados.”

Sobre o trecho de Isaías, na primeira leitura, o Papa destacou a mansidão e a paciência, que é do próprio Deus.

“Quando se pensa na paciência de Deus, é um mistério”, disse o Papa. “Quanta paciência Ele tem conosco!”. E recordou ainda a figura do pai, retratado no Evangelho, que viu de longe o filho que tinha ido embora com todo o dinheiro de sua herança.

“E por que o viu de longe?”- perguntou o Papa Francisco. “Porque todos os dias ia para cima para ver se o filho voltava”. Esta – repetiu Francisco – “é a paciência de Deus, a paciência de Jesus”.

E concluiu: “Pensemos em um relacionamento pessoal nesta Semana Santa: como tem sido, na minha vida, a paciência de Jesus comigo? Somente isso. Então, sairá do nosso coração, uma só palavra: ‘Obrigado, Senhor! Obrigado pela Sua paciência”.