A palha da manjedoura

Coluna de orientação catequética aos cuidados de Rachel Lemos Abdalla

Campinas, (Zenit.org) Rachel Lemos Abdalla | 1668 visitas

As crianças não se preocupam com o mistério que existe por trás da encarnação de Deus que veio ao mundo como uma criança. Elas ainda não fazem este questionamento, por isso, o mais importante é que elas conheçam o modo simples e humilde de 'como Deus veio ao mundo', para que este seja o exemplo de como elas devem crescer e viver.

O Jesus Menino está muito mais próximo delas do que o Jesus da Cruz, ou o Jesus do deserto, ou o Jesus que esteve com os pescadores. Como crianças, elas se identificam com o Deus que é Menino, Aquele que é apresentado deitado numa manjedoura coberta de palha, a qual elas podem questionar: esta palha não vai espetar o Menino?

A palha é o elemento que protege o trigo que faz o pão que vem para a mesa nos alimentar. Porém, esta mesma palha que envolve o trigo durante o seu desenvolvimento, é desprezada após ele ter sido separado dela. E é esta mesma palha, rejeitada pelos homens, que se transforma no berço que acomoda Jesus logo após o Seu nascimento e nos revela um grande ensinamento: Jesus, que foi envolvido pela palha na manjedoura, assim como o trigo na plantação, se faz nosso Alimento para a vida eterna.

Os pequeninos conhecem o pão, que é o alimento dos pobres, feito de trigo para alimentar o corpo; eles conhecem a palha da manjedoura e conhecem o Menino que nasceu no Natal. Os três são elementos que remetem à simplicidade e ao exemplo da humildade de Deus que se fez criança entre os homens.

Conforme a descrição do Papa Bento XVI sobre o nascimento de Jesus: Deus se faz pequeno por nós![1] E os pastores verão um menino pobre e carente de ajuda, que nasceu junto aos animais e, por isso, está deitado numa manjedoura, ao invés de um berço. Jesus Menino é o sinal da simplicidade de Deus, com quem aprendemos a viver e a praticar a humildade que é a essência do amor.[2] "A Palavra eterna se fez pequena, tão pequena a ponto de caber numa manjedoura. Fez-se Menino, para que a Palavra possa ser compreendida por nós. Assim, Deus nos ensina a amar os pequeninos, os frágeis e a respeitar as crianças."[3]

O modo como Jesus vem ao mundo tem uma linguagem que é adequada ao entendimento dos pequeninos porque eles também são puros e humildes de coração. Deus se faz pequenino, frágil, dependente de sua mãe para alimentá-Lo e de seu pai para protegê-Lo e, como Menino, aprende a ser obediente a Deus e aos seus pais, e também ser gentil e amoroso com todos.

Que o exemplo da palha da manjedoura seja um estímulo para os pais e os catequistas ensinarem os pequeninos que é preciso acolher o próximo, seguindo a lição de humildade e simplicidade de um Deus que se tornou pequenino para poder ser acolhido por todos.

Rachel Lemos Abdalla é Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor e Coordenadora da Catequese de Famílias da Paróquia Nossa Senhora das Dores em Campinas, São Paulo - Brasil.

Site: www.pequeninosdosenhor.org

Se desejar enviar perguntas ou expressar opiniões sobre os temas tocados pela coluna organizada por Rachel Lemos Abdalla, enviar email para: contato@pequeninosdosenhor.org

Para ler o artigo anterior clique aqui.

[1] Homilia da Solenidade de Natal. Domingo, 24 de dezembro de 2006.

[2] E o Verbo se fez Carne – Reflexões sobre o mistério do Natal - Bento XVI – Ed. Ecclesiae – 2011 – Homilia 'Deus se faz pequeno por nós.'

[3] Ibdem 2– páginas 111-112