A perspectiva economica não pode sobressair à perspectiva humana

Cáritas realiza encontro no contexto da Rio +20

| 953 visitas

Por Maria Emília Marega

RIO DE JANEIRO, terça-feira, 19 de junho de 21012(ZENIT.org) – O ponto de partida para qualquer discussão sobre “desenvolvimento sustentável” deve ser sempre o “ser humano”, assinala o texto da mensagem publicada pela Santa Sé através da sua página na internet, endereçada ao Comitê Preparatório do evento Rio+20. Nesta mesma direção aconteceu o encontro dos membros da Cáritas Internacional no Brasil nesta segunda-feira, 18 de junho, no Auditório do Edifício João Paulo II.

No contexto da Rio +20 - Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável-, os membros da Cáritas Brasileira refletiram sobre as questões relacionadas ao desenvolvimento sustentável, tendo como foco o desenvolvimento solidário.

“A proposta foi de termos um diálogo com diferentes estados, países, para levar nossas reflexões sobre as questões do desenvolvimento sustentável na perspectiva do desenvolvimento centrado no solidário”, explicou Ademar Bertucci, membro da Coordenação Nacional da Cáritas Brasileira, em notícia divulgada pela Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Bertucci explicou que, apesar do tema central da Rio+20 estar relacionado à questão da economia verde, esse não é o ponto fundamental da Cáritas.

No documento divulgado pela instituição por ocasião da Rio +20 cinco elementos são apontados como fundamentais para um caminho de mudança: um futuro sem fome; um futuro com visão; um futuro de cuidados com a nossa casa: A criação; um futuro com o novo marco econômico verde; e um futuro que respeite mulheres e homens criados à imagem de Deus: um novo contrato social.

“Todo o documento está se relacionando com a forma como nós encaramos a questão econômica e todo ele, independente do item ligado à economia verde, está afirmando: a perspectiva econômica de mercado não pode sobressair à perspectiva da pessoa humana”, afirmou Bertucci.

O Encontro da Cáritas Brasileira aconteceu um dia após a Celebração Eucarística presidida por Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, especialmente para a Cúpula dos Povos e Rio+20.

Durante a celebração Eucarística Dom Orani ressaltou a orientação deixada pelo Documento de Aparecida: “Devemos procurar um modelo de desenvolvimento alternativo, integral e solidário baseado no agir ético que inclua a responsabilidade por uma autêntica ecologia natural e humana, que se fundamente no evangelho da justiça, da solidariedade e do destino universal dos bens, e que supere a lógica utilitarista, individualista e consumista.”

Após a Celebração a Cáritas Internationalis, em conjunto com a Cidse, ofereceu uma almoço de confraternização para toda rede e bispos presentes.