A quaresma na Igreja greco-melquita

Carta do Patriarca de Antioquia, Gregorios III Laham

| 1196 visitas

ROMA, quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012 (ZENIT.org) - "Abre-me as portas do arrependimento, Senhor, fonte de vida. Em teu santo templo o meu espírito vigia, trazendo o templo impuro do meu corpo. Purifica-me na tua bondade, na tua grande ternura e no teu amor compassivo".

Considerando o orthros matutino que a Igreja Greco-Melquita Católica canta desde o domingo do fariseu e do publicano até o Domingo de Ramos, Sua Beatitude Gregorios III propõe a cada um dos filhos e filhas da sua Igreja o convite de Jesus Cristo: "Entra no teu quarto e fecha a porta" (Mateus 6,6).

A carta de Gregorios III para a quaresma de 2012 é um convite à penitência, ao jejum e à oração, para se conseguir o benefício do "tempo de salvação", a fim de "aprofundarmos a nossa vida espiritual" guiados por Maria, que "guardava todas essas coisas, meditando-as no coração" (Lc 2, 19).

O patriarca pede que todos se concedam um momento de retiro e de recolhimento para encontrar a Deus no silêncio do coração, recordando a divina liturgia: "Silencie toda carne mortal" (Sábado Santo, tropário cantado em vez do Kherouvikon). "Estamos vigilantes" (Introdução à anáfora).

Gregorios III convida ainda "a intensificar durante o período da quaresma a lectio divina da Palavra de Deus, tanto em particular quanto em grupos, durante as várias reuniões pastorais, e a compartilhar o Evangelho após a leitura". Este é o assunto das proposições 2 e 3 da Assembleia Especial para o Oriente Médio do Sínodo dos Bispos. "É importante educar os jovens, convidando-os ao silêncio, à calma, especialmente durante os passeios e as atividades para a juventude. Convém reduzir o volume das músicas durante as reuniões e as atividades da paróquia".

Sua Beatitude recorda em seguida que as orações da quaresma são o nosso guia "pelas ruas da penitência corporal, através da abstinência, do jejum e da mortificação, e pelas ruas da penitência (metanoia) espiritual, conforme o que nos inspirar a consciência iluminada pelo Espírito Santo que habita em nós. Essas práticas procuram a santificação das nossas almas mediante a oração, a purificação, a penitência, a confissão, a elevação espiritual a Deus e a união com Ele, com o seu amor, com o amor e o serviço aos outros, a recepção dos santos mistérios (sacramentos), a prática das virtudes da fé, da esperança e da caridade, a esmola e os atos de misericórdia, tantos espirituais quanto físicos... Uma escada espiritual para a ascensão da Ressurreição".

O patriarca Gregorios III termina a carta com um convite a transformar a quaresma de 2012 em um "tempo de oração e de intercessões". "Na atual situação trágica dos nossos países árabes, especialmente na Síria, convidamos os nossos sacerdotes e fiéis a transformar esta quaresma num tempo de oração e de intercessão, de penitência, em intenção de paz, solidariedade, unidade, diálogo, harmonia e respeito entre todos os cidadãos. Que Deus proteja os nossos países árabes, especialmente a Síria! Queira Deus que esta quaresma nos conduza pelas reais estradas da ressurreição e da paz".

Com a Igreja, nós cantamos: "Irmãos, não oreis como o fariseu, pois quem se eleva será rebaixado. Rebaixemo-nos, antes, diante de Deus, como o publicano, e digamos como ele: Senhor, tem piedade de mim, que sou pecador".