A Renovação vai às ruas atrás dos famintos de Deus

Salvatore Martinez convida os cristãos a espalhar o Espírito pelo mundo

| 1214 visitas

Antonio Gaspari

ROMA, quinta-feira, 3 de maio de 2012 (ZENIT.org) - O mundo está sofrendo porque a fome de Deus não é saciada. É dever dos cristãos levar a cultura de Pentecostes às ruas, com "o fogo no coração, a Boa Nova na boca e profecia no olhar". Com estas palavras, Salvatore Martinez encerrou neste 1º de maio, em Rímini, a 35ª Convocação Nacional da Renovação Carismática italiana.

Diante de uma assembleia festiva de mais de vinte mil pessoas, sendo quinhentos sacerdotes e religiosos e cerca de mil e quinhentas crianças e pré-adolescentes, o presidente da Renovação Carismática (RC) na Itália explicou que "é tempo de Pentecostes" e que é preciso "renovar e reavivar a fé", porque "onde há fogo, há carisma e espírito, e ali Jesus é o Senhor".

"Nós não existimos nem para fundar partidos, nem para afundá-los. Nós existimos para renovar o que existe. Instituições já temos em abundância, é o coração o que não funciona! Temos muito a voltar a dizer, a refazer, a renovar! A nossa missão é refecundar, reoferecer às novas gerações a compreensão espiritual da história, que se chama cultura de Pentecostes".

Segundo o presidente da RC, "há muita fome de justiça social, fome de paz familiar, fome da vida santa, muita nostalgia de Deus. Por isso, devemos ser instrumentos para renovar os corações".

"Precisamos voltar a louvar e invocar Jesus com verdadeira paixão do coração. Precisamos daquela que São Cipriano chamava de loucura louvável do amor".

Quanto à crise econômica que parece dominar a sociedade civil, o presidente da RC disse que "não tem medo", porque, em tempos de crise, "a história é reconstruída pelo coração generoso". Afirmou que precisamos proclamar em alto e bom som que "Jesus é o Senhor!" e que os cristãos devem espalhar o perfume e o espírito de Cristo.

Para Martinez, renovar não significa destruir o que existe agora, mas manter uma continuidade com a tradição e com o magistério dos papas e dos primeiros apóstolos. Neste sentido, pediu incentivo às comunidades de oração que todo mês promovem a adoração e a oração para que o Espírito renove as pessoas e a sociedade. Só na Itália, há 1.200 grupos de oração que pertencem à RC.

Martinez também ressaltou a iniciativa que pretende impulsionar as reflexões sobre os dez mandamentos. "Nós temos a intenção de reler positivamente a tábua da lei, enfatizando não a negação do mal, mas a solução por meio das boas obras".

O Presidente da RC encerrou dizendo: "Nós não existimos para nós mesmos, mas para renovar o mundo! Quanto mais aumentar a crise espiritual, mais vamos precisar de lugares onde experimentar a cura, a libertação, o amor de Deus, o serviço à Igreja. Queremos proclamar que a verdadeira resposta para a crise atual está no Espírito".