A Santa Sé condena a escalada da violência da Síria

Observador permanente do Vaticano na ONU defende direitos humanos

| 645 visitas

GENEBRA, segunda-feira, 4 de junho de 2012 (ZENIT.org) - Em discurso no dia 1º de junho, durante sessão especial da ONU em Genebra, o observador permanente da Santa Sé junto à organização abordou a situação dos direitos humanos na Síria e condenou a escalada da violência no país.

“A Delegação da Santa Sé condena firmemente a escalada da violência na Síria, em particular os recentes assassinatos em O-Houleh. O massacre de inocentes, entre eles muitas crianças, é particularmente odioso e causa grande dor ao Santo Padre e a toda a comunidade católica, assim como à comunidade internacional que expressou a sua condenação unanimemente. Os direitos humanos fundamentais são violados e o risco de piora do conflito requer um compromisso firme de todas as partes com o diálogo urgente”.

O discurso de dom Silvano M. Tomasi, observador permanente da Santa Sé nas Nações Unidas e nas Instituições Especializadas de Genebra, aconteceu durante a sessão especial sobre “A deterioração da situação dos direitos humanos na República Árabe da Síria e os recentes assassinatos em O-Houleh”.

De acordo com a agência Fides, dom Tomasi recordou “os reiterados apelos de sua santidade, o papa Bento XVI, pelo fim da violência e do derramamento de sangue”, e instou “todos os líderes das diferentes religiões, através da oração e da cooperação mútua, a se comprometerem na promoção da paz pelo bem de toda a comunidade”.

Em particular, o representante da Santa Sé exortou os cristãos a “perseverarem como pontes de reconciliação entre as diferentes comunidades do país”.

Dom Tomasi lembrou, por último, que “a violência só trará mais violência, morte e destruição. O plano de paz deve ser aceito e aplicado, e a cooperação da comunidade internacional deve oferecer uma assistência leal e construtiva, para dar espaço à confiança e a um futuro de paz”.