A situação de secularismo corrói o tecido cultural

Bento XVI fala aos Prelados italianos na 64 ª Assembléia Geral Anual

| 1474 visitas

CIDADE DO VATICANO,sexta-feira,  25 de maio de 2012 (Zenit.org) - Bento XVI  discursou ontem, 24 de maio, na 64 ª Assembléia Geral da Conferência Episcopal Italiana, tocando no seguinte tema: "Os adultos na comunidade: maduros na fé e testemunhas para a humanidade."


Refletindo sobre o secularismo na Europa, o Papa advertiu que o declínio de valor espiritual e moral, patrimônio da Igreja, resulta em um mundo que “corre o risco de se tornar um deserto inóspito e a boa semente está sendo sufocada, pisoteada e perdida”.

"Infelizmente, o próprio Deus foi excluído do horizonte de muitas pessoas, e quando o discurso sobre Deus não encontra a indiferença, o fechamento ou a rejeição, todavia, não deixa de ser relegado ao âmbito subjetivo, reduzido a um fato íntimo e privado , marginalizado pela consciência pública ", disse o Papa." O coração da crise que fere a Europa passa por esse abandono, por essa falta de abertura ao transcendente, é uma crise moral e espiritual:. homem pretende ter uma identidade composta simplesmente por si mesmo”.

O Pontífice falou sobre a importância do Concílio Vaticano II para responder à crise de fé, onde a assembléia conciliar refletiu sobre a questão: "Igreja, o que diz de si mesma?", enquanto exortava os bispos a "tornarem-se cada vez mais homens de Deus”.

“Deixamo-nos ser encontrados e capturados por Deus, para ajudar cada pessoa que encontramos a ser alcançado pela Verdade, disse BentoXVI. "É a partir da relação com Ele que a nossa comunhão nasce e que a comunidade eclesial é gerada, o que abraça todos os tempos e lugares para constituir o único Povo de Deus".

O Papa também refletiu sobre o tema da assembléia geral, falando sobre a importância dos adultos maduros na fé e testemunhas da humanidade capazes de “assumir uma responsabilidade educativa nos relacionamentos com as novas gerações”.

“Assistam e operem para que a comunidade cristã seja capaz de “formar pessoas adultas na fé porque encontraram Jesus Cristo, que se tornou a referência fundamental de suas vidas; pessoas que o conhecem porque o amam e o amam porque o conheceram; pessoas capazes de oferecer razões sólidas e confiáveis de vida”, disse Bento XVI.

Com o Pentecostes se aproximando neste domingo, Bento XVI concluiu a reunião com uma oração de reflexão, pedindo ao Espírito Santo que “ajude a humanidade do nosso tempo a compreender que a exclusão de Deus a leva a ferir-se no deserto do mundo,
e que somente onde entra a fé florescem a dignidade e a liberdade e a toda sociedade se edifica na justiça”.

(Tradução:MEM)