A turma de 2013 dos novos sacerdotes americanos

No decorrer deste ano cerca de 500 ordenações: a idade média dos candidatos é de 32 anos de idade

Roma, (Zenit.org) | 458 visitas

Com o tema The Class of 2013: Survey of Ordinands to the Priesthood(Classe de 2013: Levantamento sobre as ordenados aos sacerdócio), a Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB) publicou recentemente dados da pesquisa anual sobre o número de diáconos que no decorrer de 2013 receberá a ordenação sacerdotal pelas dioceses e comunidades religiosas dos Estados Unidos.

A pesquisa foi realizada pelo Center for Applied Research in the Apostolate – CARA (Centro de Pesquisa Aplicada no Apostolado), da prestigiosa Universidade de Georgetown, em Washington DC.

Cerca de 74% dos cerca 500 ordinandos responderam ao questionário. A maioria recebeu o batismo quando criança, mas 9% abraçaram a fé católica na vida adulta. Oito em cada dez afirmam que ambos os pais são católicos, e mais de um em cada três tem um parente sacerdote ou religioso.

Aqueles que responderam ao questionário disseram ter pensado pela primeira vez no sacerdócio, em média, aos17 anos. Dois em cada três (67%) disseram que foram encorajados ao sacerdócio na paróquia. Entre as outras pessoas que influenciaram esta escolha estão os amigos (46%), os paroquianos (38%) e a mãe (34%).

Quanto à etnia, dois terços dos entrevistados (67%) declararam que pertencem ao grupo caucasiano- branco. Em comparação com a população católica adulta dos EUA, as vocações para o sacerdócio florescem especialmente entre os católicos da Ásia ou das ilhas do Pacífico (10%), mas a maioria é de origem hispânica ou latino-americana (15%).

Três ordinandos em cada dez (31%) nasceram fora dos Estados Unidos, particularmente no México, Vietnã, Colômbia, Polônia, Filipinas e Nigéria. Em média, os candidatos ao sacerdócio nascidos em outros países, viveram pelo menos14 anos em solo americano.

Outros elementos que emergem da investigação:

- Mais da metade dos ordinandos (52%) têm mais de dois irmãos e um em cada cinco (20%) têm pelo menos cinco irmãos. Para entrar no seminário é muitas vezes o filho mais velho (40%).

- Antes de escolher o seminário, seis em cada dez ordinandos terminaram o ensino médio (63%). Quase um quarto (23%) tem nível superior completo. Quase um em cada três (29%) ingressaram no seminário enquanto estudava na universidade.

- Dois terços dos ordinandos deste ano foram coroinha, e quase metade (47%) fizeram parte de grupo de jovens na paróquia. E um em cada cinco (20%) participaram de alguma Jornada Mundial da Juventude antes de entrar no seminário.

- Dos ordinandos que responderam ao questionário, mais de quatro em cada dez (42%) frequentaram escolas católicas, ou seja, a mesma proporção de católicos adultos dos EUA. Ligeiramente maior do que o resto dos católicos dos EUA é a percentagem dos ordinandos que frequentaram escolas secundárias católicas. Maior ainda é a proporção de ordinandos que estudaram em universidades católicas (44%, em comparação com 7% dos católicos adultos americanos).

- Muitos ordinandos - quase dois terços - já tiveram alguma experiência de trabalho em tempo integral antes de entrar no seminário, especialmente nas áreas de educação, contabilidade, finanças ou seguros. 4% prestaram serviço nas forças armadas dos Estados Unidos.

- Finalmente, a pesquisa indica também que alguns dos novos sacerdotes diocesanos e religiosos contraíram dívida para pagar seus estudos. Pouco mais de um quarto (26%) tinham educational debt  (dívida educacional) no momento do ingresso no seminário, em média, pouco mais de US $ 20.000.