Aborto é crime contra o direito fundamental à vida e um crime contra a natureza

Afirma o jurista Ives Gandra da Silva Martins

| 1138 visitas

SÃO PAULO, segunda-feira, 25 de setembro de 2006 (ZENIT.org).- De acordo com um jurista brasileiro, o aborto é «um crime contra o direito fundamental à vida e um crime contra a natureza».



Ives Gandra da Silva Martins afirma que se trata também de um crime contra o meio-ambiente «pelo menos superior àqueles de destruir ovos de tartarugas ou matar embriões de ursos pandas, considerados delitos de particular magnitude».

Em artigo intitulado O Direito de Viver, difundido esta segunda-feira pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), Ives Gandra enfatiza que quanto mais a sociedade se torna menos solidária e mais egoísta, «mais defende o direito de matar inocentes no ventre materno, como forma de proteger o seu egoísmo para gozar a vida».

Segundo o jurista, «todos aqueles que defendem o homicídio uterino para os seres humanos recém-concebidos» «sentem-se, todavia, profundamente indignados se alguém defender o direito de destruir ovos de tartarugas ou fetos de animais em extinção».

«Para tais propugnadores da instituição de campos de extermínio de inocentes, em abortários legalizados --prossegue Ives Gandra--, a atitude da mulher de impedir que seu filho nasça é um direito que a sociedade não tem legitimidade para cercear, visto que ela é dona de seu próprio corpo.»

Mas este argumento, de acordo com o jurista, «de rigor, é, no mínimo, contrário à biologia, pois, no momento da concepção, todo o corpo da mulher é dirigido pelo zigoto, que impõe suas regras naturais, passando, até o nascimento, a ser regido pelo novo ser, que tem o mesmo direito de viver que sua mãe».

Diante disso, «todos os defensores do meio ambiente e da preservação da natureza, todos os ecologistas, ambientalistas, deveriam, pois, ser contrários à legalização de tal assassinato, visto que a natureza demonstra que a mulher não é mais dona de seu corpo, quando a criança é concebida, mas sim a criança é que o conformará, a sua necessidade, até o nascimento».

Segundo Ives Gandra, «o aborto é, pois, um crime contra o direito fundamental à vida e um crime contra a natureza e o meio-ambiente».