Aborto é «questão ética fundamental», não «eclesiástica, afirma cardeal-patriarca de Lisboa

«Doutrina da Igreja sobre o respeito pela vida não mudou nem mudará», diz D. José Policarpo

| 932 visitas

LISBOA, quinta-feira, 28 de setembro de 2006 (ZENIT.org).- Para o cardeal-patriarca de Lisboa, «o aborto é uma questão de ética fundamental, de direitos humanos».



«Gostaríamos muito que fossem os leigos, os país e mães de família, os médicos, os homens de ciência a liderar a campanha pelo “não”», afirmou essa quarta-feira aos jornalistas, em encontro com jornalistas, segundo refere Agência Ecclesia.

O cardeal aludia a um eventual novo referendo sobre a liberação do aborto em Portugal e disse que essa não é uma questão puramente eclesiástica, mas ética.

Ao afirmar que «a doutrina da Igreja sobre o respeito pela vida não mudou nem mudará», Dom José Policarpo espera que a campanha seja um tempo para «grande esclarecimento das consciências».

Dessa forma, lamentou que a discussão esteja condicionada por algumas confusões, como a de limitar a questão a um problema religioso ou um direito da mulher.

O cardeal questionou como o Estado «consegue fixar o momento em que um indivíduo é cidadão com direitos». «Por que as 10 semanas, as 18, as 16?», perguntou.

Dom José Policarpo referiu que o «drama do aborto clandestino» continua a preocupar a Igreja. Mas «não se pode resolver um problema criando outro --afirmou--, sobretudo no caso de um cidadão gerado por cidadãos nacionais que não é sujeito de direitos, liberdades e garantias».

A proposta para um novo referendo à despenalização do aborto será apresentada no Parlamento português pelo Partido Socialista no dia 19 de outubro.