Adoções internacionais: Amici dei Bambini é credenciada em Burundi

Assinado acordo que permite o trabalho da associação italiana no país africano

Roma, (Zenit.org) Redacao | 274 visitas

Com a reunião realizada no dia 3 de dezembro na cidade de Bujumbura entre a associação italiana Amici dei Bambini [Amigos das Crianças] e o ministro de Assuntos Exteriores do Burundi, Laurent Kavakure, a entidade está oficialmente credenciada no país africano. A associação pode agora operar no Burundi para intermediar adoções internacionais e ações colaborativas em prol das crianças com dificuldades familiares.

Depois de Marrocos, Quênia, República Democrática do Congo, República do Congo e Gana, a Amici dei Bambini planta a sua sexta bandeira no grande mapa da África, agora num pequeno país que quase desaparece entre as outras nações do continente, mas no qual o sofrimento é imenso.

O Burundi está em 10º lugar mundial no índice de mortalidade infantil. País entre os mais pobres do mundo, tem 80% da população vivendo com menos de 1,25 dólar por dia. Quase 60% ​​das crianças menores de 5 anos sofrem de desnutrição crônica, principalmente devido à insegurança alimentar, ao baixo crescimento econômico do país, à dependência da ajuda estrangeira e à alta densidade populacional.

O número de órfãos é estimado em 610.000 (Unicef, 2013). As razões do abandono, em sua maior parte, estão na recente guerra civil que devastou o país, na difusão alarmante do HIV (cerca de 90 mil crianças estão infectadas) e na pobreza galopante. O Burundi também sofre de males como a prostituição e o trabalho infantis. Este último, em particular, afeta 26% das crianças entre 5 e 14 anos.

Em 2012 foram realizadas doze adoções de crianças do Burundi por pais estrangeiros. A única instituição credenciada no país, além da Amici dei Bambini, é o GVS (Grupo Voluntário de Solidariedade). O Burundi, que ratificou a Convenção de Haia, prioriza as adoções nacionais, mas é aberto à adoção por casais estrangeiros. A quantidade de crianças acolhidas em instituições no país gira em torno de 4.500.

Para todas elas, a presença da Amici dei Bambini representa mais que uma esperança: a associação já está aceitando candidaturas concretas de casais estrangeiros que querem adotar crianças do Burundi.