África do Sul: assassinado sacerdote oblato de Maria Imaculada no roubo de seu carro

O Pe. Allard Msheyene tinha 42 anos

| 1318 visitas

JOANESBURGO, sexta-feira, 12 de outubro de 2007 (ZENIT.org).- Os Oblatos de Maria Imaculada (OMI) denunciam, através de seu site, o assassinato de um de seus sacerdotes na África do Sul, vítima das balas de ladrões de carros.



A comunidade do noviciado na África do Sul e a Província do Norte lamentam a morte do Pe. Allard Msheyene, também chamado de «Mako»; ele era colaborador do mestre de noviços. Caiu em uma emboscada na estrada, no dia 5 de outubro.

O missionário estava desenvolvendo sua tarefa, no fina de semana passado, na paróquia São Pedro, em Nelspruit – capital da província de Mpumalanga. Após celebrar a miss, na sexta à tarde, na Ka Nyamazane, ele levou um jovem à sua casa e voltou para a paróquia.

Pouco depois disso, foi achado jogado, na beira da estrada do município de Msogwaba. Levado imediatamente de ambulância ao hospital Themba de Kabokweni, foi transferido logo depois a um hospital com maiores recursos, em Nelspruit, onde foi submetido a uma cirurgia urgente.

Segundo sua congregação, ele estava consciente e reconheceu quem falava com ele, a quem ate conseguiu responder. «Mas, infelizmente, a bala já tinha realizado seu terrível efeito», lamenta a comunidade.

O Pe. Zweli Mlotshwa lhe administrou os últimos sacramentos no sábado 6 de outubro, bem cedo. Algumas horas depois, o Pe. Mako morreu. Ele tinha 42 anos e foi ordenado sacerdote em 2003.

«Sua morte deixa um vazio não somente em todos os que o conheceram e amaram, mas também na pastoral da sua província, onde havia renovado o apostolado das vocações e se preparava para muitas outras tarefas na formação», reconhece a nota dos OMI. Os roubos na estrada são uma verdadeira praga da África do Sul. São registrados mais de 12 mil por ano.

Os OMI foram fundados há 188 anos, quando o Pe. Eugenio de Mazenod (já canonizado) e quatro companheiros seus se reuniram para pregar missões pelos campos do sul da França.

Atualmente, os oblatos são 4.400, alguns em formação – com um primeiro compromisso – e outro como sacerdotes ou irmãos. Estão presentes nos cinco continentes: mais de 700 na África, 1.450 na Europa, 630 na Ásia, 360 na América Latina, 750 no anadá, 480 nos EUA.

A última fundação aconteceu em Guiné-Bissau, próxima a uma das missões OMI em Senegal. Também desenvolvem sua tarefa nos bairros populares de Marsella, de Estrasburgo ou de Cádiz; encontram-se também em Cuba e em outros países.

Por outro lado, as missões cresceram e também realizam seu trabalho em outros lugares. O Haiti foi à Colômbia; o Sri Lanka foi à Índia, Bangladesh e Paquistão.

Mais informação em www.omiworld.org .