África: Igreja impulsiona agência de notícias continental

Comunicadores católicos debatem no Quênia sobre possibilidades de colocá-la em andamento

| 1154 visitas

NAIROBI, quinta-feira, 2 de setembro de 2010 (ZENIT.org) – A Igreja na África está apoiando uma nova agência católica de notícias continental, informa a agência CISA.

Comunicadores católicos debateram sobre a possibilidade de colocá-la em andamento num workshop – organizado pelo Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagascar (SECAM) em colaboração com Catholic Media Council (CAMECO) –, de terça-feira, 31 de agosto, até quinta-feira, 2 de setembro, no Jardim da Ressurreição, em Nairobi (Quênia).

O presidente da Comissão de Comunicação Social da Conferência Episcopal do Quênia, Dom Alfred Rotich, inaugurou oficialmente o escritório de trabalho.

Em seu discurso de abertura, Dom Rotich convidou os comunicadores católicos a despertarem no público sua responsabilidade na defesa dos direitos humanos.

“Na atualidade, as comunicações são consideradas o maior poder do mundo moderno, que está unificando a humanidade e transformando-a uma aldeia global”, continuou.

Ele também destacou que os comunicadores devem proporcionar informação que ajude as pessoas a tomarem decisões corretas para responder aos conflitos e desafios. 

Convidou ainda os comunicadores católicos a colaborarem entre eles, em rede, com reuniões periódicas e sessões de formação, nas quais possam compartilhar experiências e oferecer conselhos práticos sobre como promover o diálogo.

“Vivemos num mundo cada vez mais interconectado, uma sociedade global de interações comunicativas e trocas de informação que favorecem transformações culturais profundas”, afirmou.

Contudo, constatou, “a palavra ‘aldeia global’ chegou a representar unicamente os avanços técnicos, deixando para trás as relações humanas globais”.

Nesse sentido, alertou que hoje não devemos esquecer dos perigos derivados do mau uso destes poderes, e pediu uma troca de ideias construtivas e livres sobre como a África pode configurar uma agência de notícias católica continental.

O padre Janvier Yameogo, do Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais, afirmou que “há muitas iniciativas comuns existentes em toda África; serviços de notícias como DIA e CISA estão fazendo muito, mas há muito pouca interação e colaboração entre essas iniciativas; a situação de fragmentação é nossa maior fragilidade”.

“Como Igreja, precisamos compartilhar nossas histórias por meio do trabalho em rede”, afirmou padre Yameogo.