Ajuda à Igreja que Sofre espera pelo papa junto com Cuba

Associação participa nos eventos pelos 400 anos da Virgen de la Caridad

| 704 visitas

ROMA, sexta-feira, 23 de março de 2012 (ZENIT.org) – Nossa Senhora da Caridade do Cobre é o símbolo da cultura e da identidade nacional não só para os católicos de Cuba, mas para todos os cubanos. Dom Dionisio Guillermo García Ibañez, arcebispo de Santiago de Cuba e presidente da Conferência dos Bispos cubanos, apresenta assim o valor inestimável dessa devoção mariana que comemora o seu quarto século.

O aniversário é selado pela visita de Bento XVI, que desembarca no Aeroporto Internacional Antonio Maceo, em Santiago de Cuba, nesta segunda.

A Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) quis compartilhar com a comunidade cubana estes momentos importantes de espera financiando a produção e distribuição de 250 mil terços, enriquecidos com uma medalha triangular que representa a Virgen de la Caridad.

A fundação pontifícia apoia há décadas a igreja local, à qual doou em 2010 cerca de 800 mil euros, e conhece bem a "nova primavera" que a fé vive agora na ilha, apesar das décadas de perseguição ou de indiferença do Estado.

A AIS aceitou imediatamente o pedido da Conferência dos Bispos cubanos para criar um objeto de devoção especial nos 400 anos do achado da imagem mariana, em 1612, por três trabalhadores das minas de sal na Baía de Nipe, nordeste do país. A imagem foi levada para El Cobre, onde hoje tem seu santuário.

Cachita, como a imagem é carinhosamente conhecida pelos cubanos, foi proclamada padroeira de Cuba pelo papa Bento XV em 1916. No presente ano jubilar, são esperadas centenas de milhares de peregrinos em seu santuário em El Cobre. Em 2010, a estátua de Maria viajou mais de 28 mil quilômetros por onze dioceses cubanas, sempre recebida por multidões.

Os terços estarão disponíveis a um preço simbólico e o montante arrecadado será doado para a reforma e ampliação do Santuário Nacional, que o Santo Padre visita nesta terça-feira, 27.

As longas décadas de propaganda ateísta deixaram uma profunda marca na ilha. Entre os 6,7 milhões de católicos cubanos, já não são muitos os praticantes. Mas a devoção à Virgen del Cobre está aumentando dia a dia. Todos os anos, mais de 500 mil pessoas peregrinam ao santuário, que tem como anexos uma casa de acolhimento, um pequeno convento das Irmãs Contemplativas Missionárias da Caridade e o único centro de formação eclesial da província.

Nos últimos cinquenta anos não houve nenhuma reforma no complexo, que precisa de urgente renovação. A Ajuda à Igreja que Sofre colaborará com uma doação de 100 mil euros à campanha "De cada cubano, uma moeda para Nossa Senhora do Cobre", lançada pela Conferência Episcopal para enfrentar os altos custos da restauração.

Entre os vários textos doados pela AIS à igreja cubana, há 15.000 cartilhas do rosário e a publicação "Nós, crianças, rezamos o terço", uma introdução escrita especialmente para os pequenos fiéis.