Alemanha: redução no número de igrejas católicas

Número de fieis diminui e fica difícil sustentar a estrutura

Roma, (Zenit.org) | 1410 visitas

Na carta pastoral enviada em dezembro aos fiéis da capital alemã, o cardeal Rainer Maria Woelki, arcebispo de Berlim, anunciou que em breve será colocado em prática um plano que em sete anos reduzirá progressivamente o numero de igrejas católicas no nordeste da Alemanha em 70%. “As 105 igrejas da arquidiocese – afirma a carta- serão reduzidas para 30 paróquias até2020”, redução que afetará 400.000 católicos da arquidiocese de Berlim.

Nas declarações à agencia Katholische Nachrichten (KNA) em 16 de janeiro, o purpurado indicou que, em media, onze paróquias serão reduzidas por ano na área pos-comunista que inclui as cidades de Berlim, Brandenburgo y Mecklenberg-Vorpommern. “Isso não é apenas uma reforma administrativa, mas também uma reforma espiritual”, comentou o arcebispo alemão.

O bispo alemão George Maximilian Sterzinsky, que faleceu no ano passado e era o antecessor do cardeal Woelki, havia começado ha seis anos a integrar as paróquias para reduzir o valor da divida da arquidiocese de 140 milhões de dólares depois da reunificação da Alemanha.

Atualmente as paróquias oferecem missa de domingo a uma média de 3.810 fiéis cada. Após a redução planejada, estima-se que em cada uma das 30 paróquias que restarão, estará presente uma média de 13.300 católicos.

O cardeal Woelki disse à agência de notícias alemã que o objetivo da redução é dar a arquidiocese uma “estrutura sustentável”.

O arcebispo escreveu uma carta para as comunidades locais onde explica que a decisão foi tomada com base em "processos de desenvolvimento futuro e na redução da população", porque de acordo com o cardeal, o número de membros da igreja será reduzido em 30% em algumas regiões, em um período de até 17 anos. Ele esclareceu ainda que a decisão não foi devido à falta de dinheiro ou de pessoal.

O vigário geral Tobias Przytarski informou que os novos párocos serão liberados das tarefas administrativas.

A arquidiocese quer cobrir "grandes áreas pastorais", o que significa que as paróquias restantes terão de cooperar mais estreitamente nos próximos anos com a educação católica e as instituições sociais.

O cardeal Woelki afirmou em sua carta que as finanças da arquidiocese haviam melhorado graças às "decisões corajosas e responsáveis" das instituições eclesiásticas.

Os 80% dos católicos alemães vivem em Berlim, cidade que recebeu um pacote de ajuda de US $ 39 milhões de outras dioceses católicas em 1999.