Ano da Fé e JMJ do Rio: começa a mobilização dos jovens poloneses

Conferência Episcopal da Polônia exorta os jovens a se prepararem

| 1287 visitas

Mariusz Frukacz

VARSÓVIA, segunda-feira, 25 de junho de 2012 (ZENIT.org) - O Ano da Fé, a mensagem aos povos da Rússia e da Polônia, a situação da mídia católica, a rede televisiva católica Trwam e a catequese nas escolas foram os principais temas da 358ª reunião plenária da conferência episcopal polonesa, que aconteceu entre 21 e 23 de junho de 2012 em Wrocław.

A reunião, presidida por dom Józef Michalik, presidente da Conferência dos Bispos da Polônia, teve participação do núncio papal no país, o arcebispo Celestino Migliore.

No comunicado final, "os bispos incentivam os jovens a se comprometerem nas iniciativas de evangelização ligadas ao Ano da Fé e à Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro em 2013". Os bispos enfatizam a importância do Ano da Fé com as palavras de Bento XVI: "Que neste ano os fiéis redescubram os conteúdos da fé professada, celebrada, vivida e rezada, e reflitam sobre este ato" (Porta Fidei, 9).

Um dos temas abordados no encontro foi a mensagem conjunta da Igreja Católica polonesa e do Patriarcado de Moscou aos povos da Rússia e da Polônia, que será assinada em 17 de agosto,em Varsóvia. Segundoa Agência de Informação Católica na Polônia (KAI), o documento será assinado pelo arcebispo Józef Michalik, presidente da conferência dos bispos católicos, e pelo patriarca Kirill, chefe da Igreja Ortodoxa Russa.

O Patriarca de Moscou e de Todas as Rússias visitará a Polônia entre 16 e 19 de agosto. É a primeira vez na história do cristianismo na Polônia que o líder da Igreja Ortodoxa Russa visita o país. Ainda de acordo com a KAI, o arcebispo Michalik aguarda com grande esperança a mensagem católico-ortodoxa sobre a reconciliação dos povos. “Esta mensagem é crucial”, afirmou à KAI o porta-voz dos bispos poloneses, dom Józef Kloch.

O comunicado da Conferência dos Bispos da Polônia ressalta que "ao longo de muitos anos foi mantido um bom diálogo entre a Igreja Ortodoxa Russa e a Igreja Católica na Polônia. Nosso objetivo é levar as nossas igrejas e nações à reconciliação".

Na mesma reunião plenária, a conferência discutiu a instrução do Ministério da Educação para inserir a religião e a ética como matérias curriculares. Os bispos reafirmaram a necessidade da rápida implementação do regulamento.

Foi abordada ainda a situação dos meios de comunicação na Polônia, especialmente a tentativa de excluir o canal católico Trwam da plataforma digital. Os bispos convidaram o governo "a desenvolver as soluções jurídicas que garantam a missão de serviço público da televisão e do rádio para o bem de todos os destinatários". Neste sentido, pediram "o tratamento da mídia católica em pé de igualdade com os outros meios no processo de concessão".

Depois de avaliarem o relatório sobre o VII Encontro Mundial das Famílias, realizado recentemente em Milão, os bispos prestaram especial atenção ao apelo do papa sobre a presença na Igreja de pessoas que vivem em união não sacramental: "elas devem ver e sentir o amor da Igreja".

Sobre a situação das famílias, os bispos se disseram particularmente preocupados com o colapso demográfico. No comunicado final, eles encorajam "os crentes e os não crentes, os parlamentares e as autoridades locais, os jovens e os adultos a defenderem a vida desde a concepção até a morte natural".

As marchas em defesa da vida e a oração podem ser uma ajuda valiosa para os valores nacionais sobre os quais a tradição europeia construiu a família durante milhares de anos, observaram. De acordo com os bispos, "a família desperta para a vida, desenvolve o homem e amadurece a fé e o amor pela pátria. A família é o alicerce de uma sociedade saudável e demanda mais apoio, a fim de continuar a desempenhar as suas funções".

Encerrando o comunicado, a Conferência dos Bispos da Polônia destacou a importância da visita do cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado vaticano.

(Trad.ZENIT)