Aparecida: horizonte novo do discipulado

Arcebispo destaca importância da Padroeira do Brasil

| 1352 visitas

BELO HORIZONTE, sexta-feira, 10 de outubro de 2008 (ZENIT.org).- O arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, considera que Aparecida é «o horizonte novo do discipulado».

Segundo o prelado, a padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, cuja festa celebra-se em 12 de outubro, é «uma incontestável referência».

«É impensável tentar extirpar do tecido religioso e cultural do povo brasileiro a força significativa desta presença», afirma.

«Um feriado nacional, suas festas e manifestações devocionais são prova cabal de sua singularidade. Não cabem propostas que venham afrontar esta singularidade.»

De acordo com Dom Walmor, «os cristãos iluminados pela verdade da Palavra de Deus, com as referências bíblicas parcas, mas de significação enraizada, sabem que Maria tem um lugar especial no querer de Deus».

«A força devocional que brota de sua pessoa tem raízes no coração de Deus. É um risco comprometedor para uma fé cristã autêntica não reconhecer a predileção do Pai que a escolheu, como filha, para ser a Mãe do seu Filho, Cristo Jesus, pela ação do Espírito Santo, de quem ela é esposa.»

«Esta especialidade de sua relação com a Trindade Santíssima, Pai, Filho e Espírito Santo, faz dela discípula exemplar e modelo», considera o arcebispo.

Segundo Dom Walmor, «em Maria se concretiza a máxima realização da existência cristã: sua fé e obediência à vontade de Deus, assim como sua constante meditação da Palavra e ações de Jesus». 

«Ela é a discípula mais perfeita do Senhor. Ela é a interlocutora do Pai em seu projeto de enviar o seu Verbo, Jesus Cristo, o Salvador da humanidade. Ela é o primeiro membro da comunidade dos crentes em Cristo, e também se faz colaboradora do renascimento espiritual dos discípulos.»

«Desde sempre, mesmo onde ainda não tinham chegado os missionários e evangelizadores, Maria é a grande missionária, continuadora da missão do seu Filho, congregando todos em torno dEle, e formadora de missionários.»

«Maria, como deu à luz ao Salvador do mundo, continua a levar o Evangelho a todos os povos. Os cristãos autênticos hão de reconhecer sua singularidade. Aparecida é o horizonte novo do discipulado, a casa da padroeira», afirma o arcebispo.