Apelo do Cardeal Sandri pela liberdade religiosa na Índia

Ao concluir sua viagem ao país asiático no fim de semana passado

| 890 visitas

BHARANANGANAM, quarta-feira, 12 de novembro de 2008 (ZENIT.org).- O cardeal Leonardo Sandri, prefeito da Sagrada Congregação para as Igrejas Orientais, lançou no domingo passado um apelo «para que cesse toda violência como sinal de respeito autêntico da liberdade religiosa de todos os filhos e filhas da Índia», informa L'Osservatore Romano em sua edição desta quarta-feira. 

O purpurado presidiu em Bharananganam (no estado indiano de Kerala) a missa de ação de graças pela recente canonização da primeira santa indiana, a religiosa clarissa Afonsa da Imaculada Conceição, elevada aos altares por Bento XVI no dia 12 de outubro passado. Concluiu assim uma visita de quatro dias às comunidades siro-malabar e siro-malancar. 

Na Eucaristia estiveram presentes os cardeais Varkey Vithayathil e Telesphore Placidus Toppo, assim como o arcebispo de Trivandrum dos siro-malancares, Dom Moran Mor Baselios Cleemis Thottunkal, e outros representantes civis e religiosos, entre eles o ex-presidente da Índia, A.P.J. Abdul Kalam. 

O prefeito aproveitou a homilia para expressar a proximidade do Papa a «todos os que sofrem por causa do Evangelho». 

«Sabei que Bento XVI leva em seu coração todos que sofrem em Orissa e em outros lugares de vossa nação – afirmou o cardeal Sandri diante dos milhares de fiéis congregados no domingo passado – e reza para que a paz, como nossa oração pelo pão de cada dia, possa ser concedida a toda a Índia e desapareça toda forma de discriminação.»

«A não-violência é a única solução para todo tipo de conflito, e esta postura começa com a vontade de instaurar uma solidariedade fraterna», acrescentou. 

Sobre a vida e a obra de Santa Afonsa, o prefeito recordou que esta mulher «aceitou oferecer seus próprios sofrimentos ao Pai através do sacrifício de Jesus, seu Filho divino. De fato, sofreu tanto física como mentalmente durante a maior parte de sua breve vida, que durou 36 anos». 

«Durante aqueles escuros períodos, a santa se manteve otimista, decidida na fé cristã e em seu desejo de servir todos aqueles com quem tinha contato. Santa Afonsa nos ensina que o sofrimento não deve diminuir a esperança, mas aumentá-la», afirmou o cardeal Sandri, e recordou que «Deus está presente onde seus filhos passam por dificuldades». 

Reconstruir templos para o Natal

Por sua parte, os bispos de Orissa pediram às autoridades deste estado que «se reconstruam as igrejas destruídas, preferivelmente antes do Natal», segundo informou ontem a agência Asianews

Segundo os prelados, apesar de que as autoridades asseguram que a calma voltou, os cristãos «continuam aterrorizados e não se atrevem a voltar às suas aldeias porque sobre eles pesam graves ameaças de morte ou de conversões forçadas ao hinduísmo». 

Os bispos temem que a maior parte dos cristãos decida migrar a outros estados, e pedem às autoridades que mantenham as forças armadas presentes durante os próximos meses até que se restabeleça a normalidade após as eleições que acontecerão em abril.