Após o ofertório quando a assembleia deve se levantar?

Responde padre Edward McNamara, L.C, professor de teologia e diretor espiritual

Roma, (Zenit.org) Pe. Edward McNamara, L.C. | 1623 visitas

Um leitor italiano fez a seguinte pergunta:

Após o ofertório e a lavagem das mãos, o sacerdote volta-se para a assembleia com as palavras "Orai irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício ...". Minha pergunta é: neste momento da liturgia devemos permanecer sentados ou de pé? Alguns se levantam logo na palavra “Orai” outros se levantam no prefácio. Há uma confusão porque nas missas em dias de semana o incenso não é usado. - D.GJ.S., Itália

Apresentamos a resposta dada pelo Padre Edward McNamara:

No n º 43 da Instrução Geral do Missal Romano diz:

“Os fiéis permaneçam de pé, do início do canto da entrada, ou enquanto o sacerdote se aproxima do altar, até a oração do dia inclusive; ao canto do Aleluia antes do Evangelho; durante a proclamação do Evangelho; durante a profissão de fé e a oração universal; e do convite Orai, irmãos antes da oração sobre as oferendas até o fim da Missa, exceto nas partes citadas em seguida”.

 “Sentem-se durante as leituras antes do Evangelho e durante o salmo responsorial; durante a homilia e durante a preparação das oferendas; e, se for conveniente, enquanto se observa o silêncio sagrado após a Comunhão”.

“Ajoelhem-se, porém, durante da consagração, a não ser que, por motivo de saúde ou falta de espaço ou o grande número de presentes ou outras causas razoáveis não o permitam. Contudo, aqueles que não se ajoelham na consagração, façam inclinação profunda enquanto o sacerdote faz genuflexão após a consagração”.

“Compete, porém, à Conferência dos Bispos adaptar, segundo as normas do direito, à índole e às legitimas tradições dos povos, os gestos e posições do corpo descritos no Ordinário da Missa53. Cuide-se, contudo, que correspondam ao sentido e à índole de cada parte da celebração. Onde for costume o povo permanecer de joelhos do fim da aclamação do Santo até ao final da Oração eucarística e antes da Comunhão quando o sacerdote diz Eis o Cordeiro de Deus, é louvável que ele seja mantido”.

“Para se obter a uniformidade nos gestos e posições do corpo numa mesma celebração, obedeçam os fiéis aos avisos dados pelo diácono, por um ministro leigo ou pelo sacerdote, de acordo com o que vem estabelecido no Missal”.

Essa regra geral está especificada no n º 146, que diz:

“Outra vez no centro do altar, o sacerdote, de pé e voltado para o povo, estendendo e unindo as mãos, convida o povo a rezar, dizendo: Orai, irmãos e irmãs etc. O povo põe-se de pé e responde, dizendo: Receba o Senhor. Em seguida, o sacerdote, de mãos estendidas, diz a Oração sobre as oferendas. No fim o povo aclama: Amém”.

Esta norma não especifica se a assembleia  tem de levantar-se logo que o sacerdote pronuncia a palavra "Orai ..." ou em vez ,deve esperar até que ele tenha concluído o convite, para em seguida, levantar-se e responder.

No entanto, o fato de que a seção do Missal a proponha entre o "orai irmãos" e a resposta dos fiéis significa que a assembleia deve esperar até que o padre tenha terminado para  levantar ou responder quando se levanta  imediatamente depois que ele concluiu.

É preciso entender que isso exige  uma comunidade bem-disciplinada para agir em uníssono perfeito na conclusão do sacerdote e que momentos de silêncio ou de confusão, mais do que  uma resposta imediata, podem acontecer.

Portanto, não considero um problema se em alguns lugares, a comunidade se levanta enquanto o padre ainda está recitando "Orai irmãos". Tanto o convite como a resposta dos fiéis são tão curtas que isso não deveria causar qualquer dificuldade.

Não é previsto que os fiéis se levantem após a resposta, ainda que,  a Conferência Episcopal possa, legitimamente, propor essa mudança no Missal.

Não corresponde à tradução litúrgica que a assembleia permaneça sentada durante a oração sobre as oferendas. Normalmente, os  fiéis estão de pé ou, ocasionalmente, se ajoelham  quando o sacerdote recita uma oração na sua qualidade de presidente.

* Os leitores podem enviar perguntas para liturgia.zenit@zenit.org.  Pedimos a  gentileza de mencionar a palavra "liturgia" no campo assunto. O texto deve incluir suas iniciais, o nome da cidade e estado, província ou país. Padre McNamara só poderá responder algumas das muitas que recebemos.