Apresentada viagem do Papa a Veneza e Aquileia

Cardeal Scola: “Uma grande oportunidade de evangelização”

| 1068 visitas

ROMA, sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) - A visita do Papa Bento XVI a Aquileia e Veneza, nos próximos dias 7 e 8 de maio, é um "grande presente" do Pontífice, "uma grande oportunidade de educação (...), de evangelização e de catequese para todo o nosso povo".

Estas foram as palavras do cardeal Angelo Scola, patriarca de Veneza, em entrevista à Rádio Vaticano hoje, após a apresentação desta visita, que chega 26 anos depois da de João Paulo II e cerca de 40 depois da de Paulo VI.

O programa, ainda provisório, prevê a chegada do Papa em Aquileia na tarde do sábado, 7 de maio, com uma visita à Basílica para a Assembleia de preparação do segundo congresso de todas as igrejas do Nordeste, a ser realizada em Aquileia, no dia de Pentecostes de 2012.

O Congresso reúne as dioceses italianas, eslovenas, croatas, alemãs e austríacas que nasceram do Patriarcado de Aquileia (568-1751), que foi a maior sede metropolitana da Idade Média, e a segunda em dignidade depois de Roma.

De sua divisão procede o Patriarcado de Veneza, cuja sede é agora ocupada pelo cardeal Scola. O congresso anterior foi em 1990.

À noite, o Pontífice irá a Veneza, onde, no dia seguinte, presidirá a Celebração Eucarística para todas as igrejas do Nordeste, no Parque de San Giuliano di Mestre, seguida pela recitação do Ângelus.

Na parte da tarde, estão programados três encontros: na Basílica de São Marcos, acontecerá o encontro entre o Papa e a Assembleia eclesial para o encerramento da visita pastoral; na Basílica da Saúde, o Papa se encontrará com mundo da arte, cultura e economia; na Capela da Santíssima Trindade, Bento XVI vai abençoar e inaugurar a Biblioteca do Studium Generale Marcianum

Diante deste evento, os bispos do Triveneto enviaram, no início de janeiro, uma carta convidando os fiéis a participar de um fundo para ajudar a Igreja local na organização.

"A recepção do Papa - escreveram - será sóbria e essencial: buscaremos honrar com grande simplicidade, mas com muita atenção, aquele que, como ensina a fé cristã, não é apenas um grato hóspede, mas também parte integrante de toda Igreja particular."

O cardeal Scola disse à Rádio Vaticano que se quis resumir a viagem papal no slogan "Tu confirmas a nossa fé": "Ou seja, pedimos ao Santo Padre, por seu ministério de Sucessor de Pedro e pela força do seu testemunho, seu apoio neste momento de passagem da nossa fé e, portanto, a visão cristã da vida".

"Nós ainda temos fé em nossa terra aqui, mas somos como os discípulos que disseram a Jesus: ‘Senhor, nós cremos, mas aumenta a nossa fé'", acrescentou.

"Fé significa estilo de vida - observou o cardeal. Significa um modo de vida, de lidar cada dia com as emoções, o trabalho e o descanso; uma maneira de ver - através de nossas vidas transformadas - a conveniência, para o homem moderno, de seguir Jesus com a simplicidade de coração, de forma que possamos ser livres e dignos."

O purpurado recordou que a situação local é "muito complexa", pois compreende "Igrejas da Croácia, Eslovênia, Áustria, Baviera, até chegar à Lombardia - Mantova e Como -, que nasceram de Aquileia, além de todas as igrejas no Nordeste da Itália".

"O Papa vem para todos os fiéis, para todos os batizados, mas também para os homens de boa vontade, porque a fé, ao despertar todas as coisas humanas, fala a todos."

Mais informações: www.ilpapaanordest.it.