"Aquele Rei que não veio para ser servido, mas para servir"

Palavras de Bento XVI durante a oração do Angelus

| 1198 visitas

CIDADE DO VATICANO, domingo, 25 de novembro de 2012 (ZENIT.org) – Publicamos a seguir as palavras dirigidas pelo Santo Padre Bento XVI, ao meio-dia de hoje, durante a oração do tradicional Angelus, aos fieis e peregrinos reunidos na Praça de São Pedro.

***

Queridos irmãos e irmãs!

Hoje a Igreja celebra Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo. Esta solenidade é colocada no final do ano litúrgico e resume o mistério de Jesus "primogênito dentre os mortos e soberano de todos os poderosos da terra" (Oração Coleta Ano B), ampliando o nosso olhar para a plena realização do Reino de Deus, quando Deus será tudo em todos (cf. 1 Cor 15,28).

São Cirilo de Jerusalém afirma: "Nós proclamamos não apenas a primeira vinda de Cristo, mas também uma segunda muito mais bonita que a primeira. A primeira, na verdade, foi uma manifestação de sofrimento, a segunda traz o diadema da realeza divina; ... na primeira foi submetido à humilhação da cruz, na segunda é rodeado e glorificado por uma multidão de anjos" (Catequese XV, 1 Illuminandorum, De secundo Christi adventu: PG 33, 869 A).

Toda a missão de Jesus e o conteúdo da sua mensagem se resume em proclamar o Reino de Deus e praticá-lo no meio dos homens com sinais e maravilhas. "Mas - como lembra o Concílio Vaticano II - primeiro o Reino se manifesta na mesma pessoa de Cristo" (Constituição dogmática Lumen gentium, 5.), que o estabeleceu através da sua morte na cruz e da sua ressurreição, com a qual se manifestou como Senhor e Messias e Sacerdote para sempre.

Este Reino de Cristo tem sido confiado à Igreja, que é a sua "semente" e "começo" e tem a missão de anunciá-lo e difundi-lo entre todas as nações, com a força do Espírito Santo (cf. ibid.). No final do tempo prescrito, o Senhor entregará a Deus Pai o Reino e apresentar-lhe-á todos aqueles que viveram de acordo com o mandamento do amor.

Caros amigos, todos nós somos chamados a prolongar a obra salvífica de Deus convertendo-nos ao Evangelho, colocando-nos com decisão no seguimento daquele Rei que não veio para ser servido mas para servir e dar testemunho da verdade (cfr Mc 10,45, Jo 18, 37).

Nesta perspectiva, convido todos a rezar pelos seis novos cardeais que ontem eu criei, para que o Espírito Santo fortaleça-os na fé e na caridade e encha-os com seus dons, de modo que vivam as suas novas responsabilidades como uma nova dedicação a Cristo e ao seu Reino. Estes novos membros do Colégio Cardinalício representam bem a dimensão universal da Igreja: são Pastores de Igrejas no Líbano, na Índia, na Nigéria, na Colômbia, nas Filipinas, e um deles esteve durante muito tempo à serviço da Santa Sé.

Invocamos a proteção da Virgem Maria sobre cada um deles e sobre os fiéis confiados ao seu serviço. A Virgem nos ajude a viver o momento presente esperando o retorno do Senhor, pedindo com força a Deus: "Venha a nós o Vosso Reino", e fazendo aquelas obras de luz que nos aproximam sempre mais do Céu, conscientes que, nos atormentados acontecimentos da história, Deus continua a construir o seu Reino de amor.

(Tradução Thácio Siqueira)