Arcebispo argentino Leonardo Sandri será cardeal

Prefeito da Congregação vaticana para as Igrejas Orientais

| 724 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 17 de outubro de 2007 (ZENIT.org).- Bento XVI incluiu o nome do arcebispo argentino Leonardo Sandri, de 63 anos, prefeito da Congregação vaticana para as Igrejas Orientais, entre os 23 futuros cardeais que nomeará em 24 de novembro.



Até o mês de junho passado, o prelado havia sido substituto para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado e prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais.

O arcebispo Leonardo Sandri deu ao mundo a notícia da morte de João Paulo II, na noite de 2 de abril de 2005, na praça de São Pedro, no Vaticano. Ele lia os discursos que o Papa Karol Wojtyla não conseguia ler por causa de sua doença.

Nascido em Buenos Aires (Argentina), em 18 de novembro de 1943, no seio de uma família de origem italiana, foi ordenado sacerdote em 2 de dezembro de 1967 e incardinado na diocese da capital argentina.

Formou-se em Teologia na Universidade Católica Argentina e em Direito Canônico na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Começou o serviço diplomático da Santa Sé em 1974, apresentando seu serviço à representação pontifícia de Madagascar e de 1977 a 1989, na Secretaria de Estado. De 1989 a 1991, foi conselheiro na nunciatura apostólica dos Estados Unidos.

Em 22 de agosto de 1991, foi nomeado regente da Prefeitura da Casa Pontifícia e em 2 de abril de 1992, assessor para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado.

Em 22 de julho de 1997, foi nomeado núncio apostólico na Venezuela e eleito arcebispo titular de Cittanova, sendo consagrado bispo em 11 de outubro desse mesmo ano.

Em 1º de março de 2000, foi nomeado núncio apostólico no México.

Em 16 de setembro de 2000, foi nomeado substituto para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado.

Ele fala, além do espanhol, italiano, francês, inglês e alemão.