Arcebispo celebrou exéquias de pe. Felix Pastor

Jesuíta professor de teologia morreu na segunda-feira

| 1256 visitas

RIO DE JANEIRO, sexta-feira, 15 de julho de 2011 (ZENIT.org) – O arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, presidiu nessa quinta-feira a Missa de corpo presente do padre jesuíta Felix Alejandro Pastor Piñeiro, falecido no dia 11.

Concelebrada pelo presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Raymundo Damasceno Assis, e pelo arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Pedro Scherer, a cerimônia contou também com a presença de outros 16 bispos e mais de 20 sacerdotes da Companhia de Jesus e do clero da Arquidiocese do Rio de Janeiro, que foram prestar suas últimas homenagens a Padre Felix.

O velório ocorreu durante toda a noite do dia 13, na Capela do Sagrado Coração de Jesus, na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), onde padre Felix lecionava.

Segundo recorda o departamento de imprensa da arquidiocese do Rio de Janeiro, durante 44 anos o sacerdote trabalhou no Pontifício Colégio Pio Brasileiro, em Roma, onde foi Diretor Espiritual, Prefeito dos Estudos e Bibliotecário, orientando os alunos na escolha dos cursos, auxiliando-os no aprofundamento das disciplinas e na preparação dos exames. Padre Alejandro atuou também na Faculdade João Paulo II.

Padre Felix Pastor era espanhol e tinha 78 anos. Nasceu no dia 25 de fevereiro de 1933 e entrou na Companhia de Jesus (Jesuítas), em 1950. Foi ordenado padre no dia 27 de agosto de 1963.

Durante seu luminoso ministério de professor, padre Felix serviu generosamente à Igreja do Brasil e do mundo, orientando mais de 110 teses doutorais, dentre elas as de inúmeros bispos, arcebispos e cardeais, como por exemplo, Dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, e Dom José Policarpo, Patriarca de Lisboa, além de contribuir para uma sólida formação de muitas gerações de sacerdotes e leigos.

Em nota, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), agradeceu profundamente  Companhia de Jesus pelo “trabalho frutuoso” que padre Felix realizou. Segundo a presidência da CNBB, muitos dos bispos e presbíteros no Brasil foram acompanhados com competência e dedicação no seu mestrado e doutorado por este ilustre teólogo.