Arcebispo Celli traça perfil do missionário da era digital

Ao inaugurar a Reunião Continental da Rede Informática da Igreja na América Latina

| 1470 visitas

BOGOTÁ, quinta-feira, 4 de junho de 2009 (ZENIT.org).- O representante de Bento XVI para a pastoral da comunicação inaugurou nesta quarta-feira a XI Reunião Continental da Rede Informática da Igreja na América Latina (RIIAL), traçando o perfil do missionário da era digital. 

O arcebispo Claudio Maria Celli, presidente do Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais, apresentou na Eucaristia de abertura dois ícones que servem de inspiração para o crente que se põe ao serviço deste novo cenário, chamado também de cultura digital.

O primeiro modelo que propôs é Jesus Cristo, que na Última Ceia se inclina para lavar os pés de seus discípulos. A RIIAL, como Igreja que é, tem de identificar-se com seu Senhor e assim realizar e viver o amor que se torna serviço, considerou. 

Em suas palavras durante a abertura solene, Dom Celli assinalou que a RIIAL não é uma associação a mais que se dedica às novas tecnologias; é a própria Igreja que dialoga e serve essa nova cultura marcada pela comunicação. 

Neste contexto, apresentou o segundo ícone ou imagem que serve de modelo para os crentes que vivem no mundo da comunicação, tomado do capítulo 8 do livro dos Atos dos Apóstolos. 

O diácono da Igreja nascente, Felipe, é enviado pelo Espírito Santo para que vá a um caminho quase desértico e lá encontre um etíope, empregado da rainha Candace, que vai lendo a Escritura mas sem compreender seu significado. Felipe caminha junto ao carro do eunuco, escuta-o e lhe pergunta se compreende o que lê. 

O etíope responde com humildade que precisa de alguém que lhe explique. Felipe entra no carro e lhe explica as Escrituras, anunciando-lhe o Senhor Jesus Cristo. O homem pede para ser batizado e, depois de fazê-lo, Felipe é arrebatado pelo Espírito. Aquele novo cristão continua seu caminho, muito contente. 

Dom Celli convidou os participantes a exercerem uma autêntica diakonia da cultura, ou seja, um serviço específico às pessoas que estão em busca de um sentido para a vida, muitas vezes sozinhas, ainda que às vezes dotadas de numerosos meios de comunicação, para escutá-las, caminhar com elas, ir no seu ritmo, em uma companhia autêntica, e proclamar-lhes, de uma maneira adequada à sua cultura, a Boa Nova de Jesus Cristo. 

A RIIAL é uma realidade surgida no âmbito do Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais em colaboração com o Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM). 

Por este motivo, junto aos comunicadores e especialistas de 20 países que participam do encontro, estão presentes o bispo mexicano Dom Guillermo Ortiz Mondragón, responsável da seção Comunicação Digital e RIIAL no seio do CELAM, e o bispo salvadorenho Gregorio Rosa Chávez, responsável da seção Comunicação social do Departamento de Comunicação do CELAM. 

Na inauguração, Dom Ortiz Mondragón, bispo de Cuautitlán, pôs as bases de uma teologia da comunicação, apresentando a era da comunicação como um sinal dos tempos: “Pela comunicação, a Igreja se faz comunhão, pela comunicação realiza sua missão”, afirmou. 

Por sua parte, Dom Rosa Chávez, bispo auxiliar de San Salvador, expressou que a rede deve manter o crente sempre em permanente presença com Cristo, com paixão pelo Reino, e ao mesmo tempo deve levá-lo a mostrar compaixão pelo pobre, marginalizado ou necessitado. 

Também Dom Fabián Marulanda López, secretário-geral da Conferência Episcopal da Colômbia, assinalou que “a Igreja tem o desafio de penetrar no mundo da tecnologia para trabalhar, sem temor e sem medo, no advento de um mundo melhor”. 

O encontro continental da RIIAL se prolongará até a sexta-feira, na sede da Conferência Episcopal da Colômbia.