Arcebispo de La Paz convida à reconciliação dos povos da América Latina

Na festa de Corpus Christi

| 657 visitas

LA PAZ, sexta-feira, 8 de junho de 2007 (ZENIT.org) .- O arcebispo de La Paz, Bolívia, Dom Edmundo Abastoflor, convidou à reconciliação e integração de todos os povos da Bolívia, América Latina e Caribe, durante a missa celebrada nesta quinta-feira por ocasião da festa de Corpus Christi.



A mensagem emitida pelo prelado durante a homilia realizada na catedral metropolitana Nossa Senhora de La Paz foi mais reflexiva que crítica e se referiu à Mensagem aos povos da América Latina e do Caribe, elaborada na cidade brasileira de Aparecida durante a V Conferência do Episcopado.

A celebração contou com a presença do presidente em exercício da República, Álvaro García Linera, do chanceler, David Choquehuanca, do vice-ministro de Planejamento, Noel Aguirre, da ministra de Desenvolvimento Rural, Susana Rivero, do presidente da Corte Superior de Distrito de La Paz, Ricardo Alarcón, e de membros do Alto Mando das Forças Armadas da Nação e da Polícia Nacional.

«Esperamos ser uma Igreja viva, fiel e crível, que se alimenta da palavra de Deus e da Eucaristia (...) Valorizar as diversas organizações eclesiais em espírito de comunhão (...) Impulsionar a participação ativa da mulher na sociedade e na Igreja (...) Valorizar e respeitar nossos povos indígenas e afro-descendentes», assinalou.

Dom Abastoflor disse que também se espera avançar no diálogo ecumênico «para que todos sejam um», como também no diálogo inter-religioso, para fazer deste continente um modelo de reconciliação, de justiça e de paz.

«Cuidar da criação, casa de todos, em fidelidade ao projeto de Deus, colaborar na integração dos povos da América Latina e do Caribe. Que este continente da esperança também seja o continente do amor, da vida da paz», asseverou.

O Arcebispo de La Paz disse que a tudo isso nos impulsiona e anima a festa de Corpus Christi, e que por isso a celebra com humildade e alegria, mas por sua vez com convicção e orgulho agradecido de poder participar do Corpo e Sangue de Cristo, para alcançar a verdadeira vida, em abundância, que o Salvador adquiriu para nós com seu corpo e seu sangue, que foram entregues até a morte.

Após a homilia se realizou a procissão, que percorreu a Praça Murillo e ruas adjacentes e foi encabeçada por Dom Abastoflor e as diversas autoridades, menos o presidente Evo Morales, que se encontra na ilha de Cuba.