Arcebispo denuncia exploração humana em Buenos Aires

Cardeal Bergoglio contra o tráfico de seres humanos

| 990 visitas

BUENOS AIRES, quarta-feira, 14 de julho de 2010 (ZENIT.org) – A capital argentina converteu-se em “exploradora de pessoas”, denunciou nessa terça-feira o arcebispo de Buenos Aires, ao presidir uma missa pelas vítimas do tráfico de pessoas, trabalho escravo e marginalizados.

Na celebração eucarística, que aconteceu na estação ferroviária "Constitución", em Buenos Aires, o cardeal Jorge Mario Bergoglio afirmou: “para muitos, nossa cidade é uma exploradora de pessoas, que destroça as vidas, quebre a vontade e tira a liberdade”.

O purpurado disse que há na cidade “escravos que trabalham para estes senhores que têm em suas mãos o tráfico (de pessoas), a prostituição”, e garantiu que estas “verdadeiras máfias” sustentam suas redes “por suborno”.

Fazendo referência à parábola do Bom Samaritano, o cardeal Bergoglio indicou que “nesta cidade se fazem sacrifícios humanos, mata-se a dignidade destes homens e mulheres, destes meninos e meninas submetidos ao tráfico, à escravidão". "Não podemos ficar tranquilos. Esta cidade está cheia de homens e mulheres, de crianças maltratadas pelos caminhos."

Ofertas

No momento das ofertas, um grupo de trabalhadores da organização La Alameda caminhou até o altar com camisas confeccionadas por pessoas resgatadas das máfias. “Cardeal Bergoglio obrigado por sempre nos ajudar”, disse Sergio Sánchez, em nome da organização.

Pelo terceiro ano consecutivo, o cardeal Bergoglio preside a uma missa na intenção das pessoas exploradas em Buenos Aires. Desta vez, a Eucaristia trouxe como tema “Trabalharemos pela liberdade e dignidade para todos e todas” e foi concelebrada pelos bispos auxiliares e uma dezena de sacerdotes.