Arcebispo emérito de Taipé impulsiona centro para deficientes mentais

Destina seus presentes de aniversário a esse fim

| 445 visitas

TAIPÉ, terça-feira, 17 de julho de 2007 (ZENIT.org).- O arcebispo emérito de Taipé (Taiwan) destina todos os presentes e doações recebidos pelos seus 80 anos à construção do novo edifício do «Yu Jen Vocational Training Center for Mentally Retarded Youth», para acolher deficientes mentais entre 16 e 45 anos de idade.



Muito querido entre os fiéis, Dom Joseph Ti-kang recebeu, além de numerosas expressões de afeto e felicitações, muitas doações.

Consciente das necessidades do citado centro, o prelado não hesitou em destinar todos esses recursos ao serviço dos deficientes, aos que tanto se dedicou até hoje, confirma a Congregação vaticana para a Evangelização dos Povos, através do seu órgão informativo «Fides».

A notícia foi difundida pelo semanário arquidiocesano de Taipé «Christian Life Weekly», cujas páginas recordam que tal centro, fundado em 1977, é uma entidade privada social do «Catholic Kuang Jen Social Welfare» -- da arquidiocese de Taiwan --, do qual Dom Joseph Ti-kang é administrador delegado, além de responsável pelo centro para deficientes.

Um missionário da Congregação do Coração Imaculado de Maria (CICM, missionários de Scheut) deu origem ao «Yu Jen Vocational Training Center for Mentally Retarded Youth».

Quatro mil pessoas com deficiência mental grave já foram beneficiadas, ao longo desses trinta anos, pela instituição. Mas a estrutura, já deteriorada, precisa transformar-se em um novo centro.

Dois anos após sua inauguração, o lugar passou a ser o primeiro centro para deficientes registrado publicamente. Depois de dez anos, sua administração passou à «Catholic Kuang Jen Social Welfare» diocesana.

A instituição oferece seu inestimável serviço aos deficientes mentais proporcionando-lhes apoio para o trabalho, formação para a vida, ajuda psicológica e também oportunidades de lazer.

A contribuição da Igreja Católica, das autoridades civis e a generosidade de muitas pessoas conseguem financiar o centro.