Arqueologia ressoa testemunho de fé dos Santos Protomártires Romanos

Iniciativa da Pontifícia Comissão de Arqueologia Sacra

| 577 visitas

ROMA, sexta-feira, 22 de junho de 2007 (ZENIT.org).- De face à memória litúrgica dos Santos Protomártires Romanos -- 30 de junho --, a Pontifícia Comissão de Arqueologia Sacra aproximará o grande público do patrimônio por ela guardado, o qual evidencia o testemunho coerente da fé cristã.



O citado dicastério da Cúria Romana -- que tem sob seu cuidado as catacumbas cristãs de Roma e de toda Itália --, programou a difusão, com toda a sua atualidade, do valor do testemunho dado pelos primeiros mártires também para o cristão do terceiro milênio.

Este -- aponta o órgão informativo «Fides», da Congregação vaticana para a Evangelização dos Povos -- freqüentemente está «desorientado» por muitas sugestões contemporâneas «que tendem a desvalorizar as opções de vida inspiradas no dom de si mesmo, no sacrifício, na defesa dos fracos».

Duas iniciativas paralelas, gratuitas, prepararam-se neste contexto, na dinâmica que se empreendeu há dois anos.

«In suo nome» («Em seu nome») se chama a primeira, concebida como um pequeno percurso sobre as vicissitudes dos mártires a partir dos primeiros cristãos até os mártires mais próximos a nosso tempo. Se interpretará como uma leitura cênica ao ar livre, nas catacumbas romanas de São Calixto na terça-feira próxima.

O entorno verá a sucessão de cenas do martírio de São Tarcísio, São Tomás Moro e do Servo de Deus Rolando Rivi. De cada um se relatará sua vida, com especial atenção nos processos dos martírios.

Mostra-se como a mesma fé no Senhor Jesus permite, hoje como então, resistir ao sofrimento e converter-se em testemunho crível para os demais.

No mesmo dia, se abrirão aos visitantes quinze catacumbas cristãs -- em Roma, Lácio (Bolsena, Nepi, Albano), Toscana, Umbria, Campânia e Sicília --, em sua maior parte fechadas ao público.

Para a ocasião se porá à disposição um serviço de guias gratuitos -- nos complexos eleitos --, especialistas em cada ponto arqueológico. O número de visitas e de público é limitado. Mais informação e reservas no link: www.fides.org/ita/comunicati/0062.html.

Os Santos Protomártires Romanos são os primeiros mártires da cidade, a quem o imperador Nero mandou pendurar em postes e depois queimar nos jardins de sua mãe, Agripina.

O local dos «hortos de Agripina» corresponde exatamente à atual praça dos Protomártires Romanos, que se estende até os jardins vaticanos. Trata-se de um dos primeiros lugares do martírio cristão em Roma.

Instituída em 1852 por Pio IX -- para custodiar os sagrados cemitérios, atender sua conservação, explorações, investigações, estudo, e tutelar a memória dos primeiros séculos cristãos, os monumentos insignes e as veneráveis basílicas em Roma --, a Comissão de Arqueologia Sacra foi declarada Pontifícia por Pio XI, que ampliou suas funções.

Os Pactos Lateranenses reconheceram sua autoridade e âmbito de ação e estudo em todas as catacumbas existentes em solo italiano. A nova Concordata confirmou estas atribuições.

Nos lugares confiados à esta Pontifícia Comissão é necessária sua permissão para realizar qualquer modificação; ostenta a direção dos trabalhos que tenham de praticar-se e publica seus resultados; estabelece ainda as normas de acesso ao público e aos estudiosos, entre outros deveres.