Arquidiocese de Cali convida fiéis a denunciar toda suspeita de abuso contra menores

Em decreto, a Igreja local destaca a obrigação de informar sobre qualquer irregularidade, seguindo as pautas do Vaticano

Roma, (Zenit.org) Redacao | 208 visitas

A arquidiocese colombiana de Cali emitiu um “decreto arquidiocesano para a proteção dos menores”, em que declara que qualquer sacerdote, religioso ou leigo a serviço da Igreja católica, ao ter conhecimento de algum ato de abuso sexual contra menores cometido por um clérigo ou ao ter razoável suspeita de tal fato, é obrigado a prestar imediata denúncia perante o bispo ou o delegado da diocese.

Seguindo as pautas e recomendações em que o Vaticano trabalha há anos para lutar contra os abusos de menores por parte do clero, a arquidiocese de Cali criou um “manual” para ajudar os fiéis a detectarem e saberem como agir nessas situações.

Entre as últimas medidas tomadas pela Igreja, destaca-se a criação de uma comissão vaticana de combate aos abusos contra menores. A Pontifícia Comissão para a Proteção de Menores apresentará ao papa Francisco “propostas específicas” para sensibilizar as pessoas sobre “as trágicas consequências do abuso sexual e das devastadoras repercussões de não se escutar ou de não se informar quando se suspeita de um abuso”. O Santo Padre instituiu formalmente a comissão em 22 de março deste ano. A primeira reunião aconteceu de 1º a 3 de maio. Entre os membros da comissão de peritos encontra-se a irlandesa Marie Collins, que, quando era criança, sofreu abusos sexuais cometidos por um sacerdote.

O documento produzido pela arquidiocese de Cali "implica o nosso compromisso de favorecer um ambiente mais seguro para os menores de idade", diz o comunicado oficial sobre o lançamento do texto, que foi apresentado pelo arcebispo dom Darío de Jesús Monsalve. O prelado manifestou a sua alegria com a promulgação de um decreto "surgido como exigência do papa Francisco, que propõe diretrizes para que cada diocese do mundo incorpore algumas linhas de ação particulares para tomar medidas contra quem incorre nesse tipo de delito, mas, principalmente, para acompanhar as vítimas e as famílias afetadas”, explicou ele.

Darío explica que "a disposição se aplica à jurisdição da arquidiocese de Cali". O arcebispo exortou as vítimas a denunciarem toda irregularidade de qualquer pessoa ou instituição católica e todo delito sexual cometido por qualquer servidor da instituição eclesial, desde sacerdotes e religiosos ou religiosas até leigos e leigas que prestam serviços nas diferentes instituições católicas.