As virtudes heróicas da madre Assunta Marchetti

Promulgado decreto sobre a co-fundadora das scalabrinianas

| 1211 visitas

Giampiero Valenza

ROMA, quinta-feira, 5 de abril de 2012 (ZENIT.org) - Foi promulgado o decreto das virtudes heróicas da madre Assunta Marchetti, co-fundadora da congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo, as scalabrinianas. O decreto é da Congregação para as Causas dos Santos, com a autorização do papa Bento XVI.

"A madre Assunta foi declarada virtuosa de modo heróico porque, com paciência, na cotidianidade, enfrentou todas as dificuldades com suma virtude. Acreditava na palavra de Deus e a pôs em prática todos os dias", disse a irmã Alda Monica Malvessi, superiora geral das irmãs scalabrinianas.

No decreto das virtudes da Congregação para as Causas dos Santos, cita-se a frase da madre Assunta às suas irmãs: "Deus se serve dos instrumentos inadequados, os mais insuficientes, para fazer as suas obras. Toda a minha confiança eu coloquei no seu doce coração", e é aqui, diz o decreto, que se "resume o testemunho da sua vida como mulher austera e dócil, cheia de equilíbrio humano e, principalmente, de humildade e caridade".

A serva de Deus Assunta Marchetti, nascida em Lombrici di Camaiore, Itália, em 1871, concentrou o seu trabalho no Brasil, especialmente em favor dos doentes, órfãos e pobres. Foi trazida ao país a pedido de seu irmão, o padre José, também missionário scalabriniano. Ele precisava de religiosas para cuidar dos órfãos.

A madre Assunta foi nomeada superiora geral e trabalhou nas comunidades de Nova Bréscia e Nova Vicenza, no sul, e depois no Estado de São Paulo.

O decreto acrescenta que "em todos esses lugares foi visto o seu compromisso constante no serviço aos irmãos mais necessitados. Seu trabalho incansável se fundamentava em uma profunda vida interior. O transcurso da sua vida se distinguiu por uma busca assídua da vontade de Deus e por um exercício heróico das virtudes. Apesar da fadiga e das doenças, ela nunca descuidou da oração, da devoção eucarística e mariana e da meditação, o que favoreceu uma profunda comunhão com o Senhor e o auto-abandono confiado à divina Providência".

A madre Assunta Marchetti morreuem São Paulo em 1º de julho de 1948.